Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Dezembro, venha! (ou vem!)



Vê-se logo que este bebé é brasileiro porque está a tratar o mês de dezembro por você. Dai o imperativo na terceira pessoa.


Por estas bandas europeias, o bebé diria "Dezembro, vem!", mas a versão brasileira serve-nos para rever o imperativo formal do português europeu: a falar com alguém que tratamos formalmente, devemos dizer desse modo: "Venha, por favor".




Mais dois jacarés


Desta vez no rio Cuiabá, o rio que atravessa a cidade do mesmo nome, capital do estado do Mato Grosso, e onde a Caroline nasceu.


"Os jacarés ficam na margem do rio no fim da tarde. Navegar pelos rios caudalosos do Pantanal, como o rio Cuiabá, é a forma clássica de conhecer as belezas naturais do bioma".


(Fotografia de Bruno Oliveira/UOL)



Mais fotografias em UOL viagens Destinos nacionais - Cuiabá




O jacaré, o "rei do Pantanal"


Será que a Caroline já viu na terra dela algum jacaré? Temos de lhe perguntar... O Pantanal fica no estado do Mato Grosso. Trouxe esta fotografia do blogue dos vossos colegas mais novos.


Nesta óptima fotografia de Alexandre Costa Marques, vemos um jacaré, chamado o rei do Pantanal. O que é o Pantanal? É "um bioma constituído principalmente por uma savana estépica, alagada em sua maior parte, com 250 mil km² de extensão, altitude média de 100 metros, situado no sul de Mato Grosso e no noroeste de Mato Grosso do Sul, ambos Estados do Brasil, além de também englobar o norte do Paraguai e leste da Bolívia (que é chamado de chaco boliviano), considerado pela UNESCO Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera, localizado na região o Parque Nacional do Pantanal."

Reparem na extensão do Pantanal!  250 mil km² divididos entre três países. Só para comparar: Espanha tem 504 030 km²...


 O pantanal brasileiro


Um belo exemplar de jacaré



quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Existe o GPS para nos guiar na vida?





Pois é... É impossível haver um GPS para a vida. E se houvesse, ele fazia-nos essa perguntinha, e nós não saberíamos, se calhar, o que responder. Estão a ver os quadrinhos (ou quadradinhos, como dizem em Portugal) de Bianca.



Nota: se calhar + Indicativo (= "a lo mejor + Indicativo")






Posso tirar uma foto? (Will Leite)



Já fizeram assim alguma vez?


Reparem: diz-se tirar uma foto (ou fotografia), como já vimos, não foi? E esse infinitivozinho pessoal, já deram por ele?





terça-feira, 25 de novembro de 2014

Erupção na Ilha do Fogo

Imagem do satélite Meteosat 10: ao centro, o arquipélago de Cabo Verde, com a nuvem de dióxido de enxofre libertada pelo vulcão IPMA


Vulcão da ilha do Fogo voltou a acordar mas agora não foi uma surpresa

Teresa Firmino
24/11/2014 - 22:02

Última erupção foi em 1995 e nessa altura, ao contrário da situação actual, não havia instrumentos científicos a vigiar o vulcão.


Ao fim de um sono de 19 anos, o vulcão da ilha do Fogo, em Cabo Verde, voltou a acordar no domingo de manhã. Parte dos habitantes de Chã das Caldeiras, uma aldeia dentro da cratera do vulcão com cerca de mil pessoas, teve de ser retirada do local. E a lava, que corre em duas frentes, já cortou a estrada principal e a via alternativa para Chã das Caldeiras, por isso só é possível chegar à aldeia a pé, relata a imprensa cabo-verdiana.

Assim que o vulcão entrou em erupção, o Governo do país declarou a situação de “contingência” nas ilhas do Fogo e da Brava (a cerca de 25 quilómetros para oeste), o que implica pôr em prática medidas de protecção civil. Além disso, as autoridades aeronáuticas cabo-verdianas também avisaram esta segunda-feira, segundo a agência Lusa, a comunidade aeronáutica internacional para que os aviões desviassem a rota quando passassem pelo espaço aéreo do arquipélago, uma vez que as cinzas do vulcão já tinham chegado aos 4500 metros de altitude.

Apesar dos estragos e incómodos causados, desta vez o vulcão do Fogo não apanhou toda a gente desprevenida, ao contrário da erupção anterior, em 1995. Nessa altura, não existia instrumentação científica a monitorizar o vulcão e essa erupção, entre 2 de Abril e 26 de Maio, daria origem à criação de uma rede de monitorização e que foi sendo aumentada e melhorada.


A notícia completa no Público.




De que adianta fazer yoga...



A boa educação é uma coisa muito importante para as nossas vidas, ou devia ser... Há pessoas que não acham. É pena. Uma das suas manifestações elementares é cumprimentar os outros.







segunda-feira, 24 de novembro de 2014

"não te esqueci"




Escrito à maquina, no tempo em que não existiam os computadores de mesa, nem os portáteis, é claro. Ou também pode ser uma máquina de escrever que sobreviveu...


não te esqueci...

("porque estou a lembrar-me sempre de ti", podia continuar, não podia?)




Tudo fica antigo




Haverá alguma coisa depois da nuvem para armazenarmos os milhões de dados que se produzem no mundo?




sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Canção do engate (António Variações)



António Joaquim Rodrigues Ribeiro, conhecido por António Variações, foi um cantor e compositor português do início dos anos 1980. A sua curta discografia continuou a influenciar a música portuguesa nas décadas posteriores ao seu precoce desaparecimento, com 39 anos.

Em entrevista, António Variações explicou o nome escolhido: "Variações é uma palavra que sugere elasticidade, liberdade. E é exactamente isso que eu sou e que faço no campo da música. Aquilo que canto é heterogéneo. Não quero enveredar por um estilo. Não sou limitado. Tenho a preocupação de fazer coisas de vários estilos."

(Dados retirados da Wikipédia)


CANÇÃO DO ENGATE

Tu estás livre e eu estou livre
e há uma noite para passar
porque não vamos unidos
porque não vamos ficar
na aventura dos sentidos

Tu estás só e eu mais só estou
que tu tens o meu olhar
tens a minha mão aberta
à espera de se fechar
nessa tua mão deserta

Vem que o amor
não é o tempo
nem é o tempo
que o faz
vem que o amor
é o momento
eu que eu me dou
em que te dás
tu que buscas companhia
e eu que busco quem quiser
ser o fim desta energia
ser um corpo de prazer
ser o fim de mais um dia

Tu continuas à espera
do melhor que já não vem
e a esperança foi encontrada
antes de ti por alguém
e eu sou melhor que nada

refrão (3x)








Vocês são deste jeito?



Vamos lá ver, sinceramente algum de vocês não disse "Eu já não sou criança nenhuma. Eu sou crescido" , ou qualquer coisa semelhante? Ah, mas os presentes, não se esqueçam dos presentes, como quando eram crianças mesmo...




quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O que é paquera?


Esta fotografia do brasileiro Eduardo Hanazaki intitula-se Paquera. O verbo é paquerar. Quais são as palavras correspondentes no português de Portugal? Engate e engatar, como já vimos na mensagem anterior.

Temos a  ajuda de um ótimo dicionário, o Houaiss, para sabermos a definição destas palavras:

paquera

Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
1 ato ou efeito de paquerar; tentativa de namoro, paqueração
Ex.: Anda só na paquera

Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
2 indivíduo namorador; engatatão
Ex.: Aquele rapaz é um tremendo paquera

paquerar
Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
1 provocar (alguém) amorosamente, demonstrar interesse amoroso por; azarar
Ex. Passa as tardes paquerando em Ipanema
 



Engate



Há muito tempo que não vinham por aqui as letras do webcedário. Desta vez, é para nos ensinarem uma palavra que, se calhar, alguns de vocês conhecem, sobretudo aqueles que, como Daniel, viajam frequentemente a Portugal e têm amigos portugueses. A palavra é engate, e de passagem, aprendemos o verbo engatar, que é regular e não tem problema para se conjugar.  Engatar é uma coisa de que muitas pessoas gostam, se for bem sucedida, claro.

Por acaso, há uma canção portuguesa intitulada assim, Canção do engate, que podíamos ouvir amanhã na sala de aula. 


Vamos pôr aqui a letra C, porque tem a ver com o assunto:




Só mais uma coisa. Têm uma colega brasileira. Podiam perguntar-lhe como é que se diz no país dela estas duas palavras do português europeu.

De todas as maneiras, vamos aprender na seguinte mensagem com uma bonita fotografia.



quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Uma solução de EasyLab para a crise



"Há quem diga que a crise já acabou. Nós aqui, no EASYLAB, não temos assim tanta certeza, pelo que aqui seguem algumas sugestões para sobreviver da melhor maneira ao que aí vem!"




Mergulho na Madeira



Para os alunos do 3º ano. Estamos a ver desportos no livro. Vamos fazer mergulho na Ilha da Madeira. Alguém gostava de praticar mergulho nestas águas? Não podemos esquecer-nos das águas dos Açores. Um dia havemos de lá ir. Se calhar vemos algumas baleias.




Vai, mesmo com medo, mas vai



É preciso seguir em frente, mesmo com medo, e não ficar parados. Não é fácil, mas muitas vezes vale a pena ter feito desse modo. Apesar do medo, fizemos alguma coisa que foi positiva para nós.







terça-feira, 18 de novembro de 2014

"Ninguém o esqueceu" (Daniel Cramer)



Fica claro de quem se fala nestes quadradinhos (Portugal)/quadrinhos (Brasil) de Daniel Cramer, não fica? Como é que se chamava este pintor? E onde é que ele nasceu?



Conhecemos Daniel Cramer aqui.


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

7 passos para a felicidade



Será possível? Vamos tentar, pelo menos.

E agora, ao vivo, passamos estes imperativos para tu, a segunda pessoa do singular.








sexta-feira, 14 de novembro de 2014

"Estou falido. Nazionalizem-me s.f.f."



Um bocado de humor. Também é preciso com a crise, não é? É daí que nasceram os dizeres desta t-shirt.

Se procurarmos no dicionário Priberam a definiçao da palavra falir, de onde provém o adjetivo falido, eis que  nos deparamos com isto:

4. [Comércio] Quebrar.

5. Suspender pagamentos. (Verbo defectivo usado apenas nas formas que conservam o i.)


Fica claro como é que se diria "Estou falido" em espanhol?






quinta-feira, 13 de novembro de 2014

A Livraria Lello do Porto e o Harry Potter


Se alguma vez forem ao Porto, não podem deixar de visitar esta belíssima livraria, e, é claro, comprar algum livro...

A Livraria Lello e Irmão, também conhecida como Livraria Chardron ou simplesmente Livraria Lello, situa-se na Rua das Carmelitas 144, da cidade do Porto.




Em virtude do seu ímpar valor histórico e artístico, a Lello tem sido reconhecida como uma das mais belas livrarias do mundo por diversas personalidades e entidades, casos do escritor espanhol Enrique Vila-Matas, do jornal britânico The Guardian e da editora australiana de guias de viagens Lonely Planet. (Wikipédia)





"Pela sua inquestionável beleza e também pela imponente história que lhe está associada, a Livraria Lello foi, em 2010, considerada pela revista Lonely Planet como a terceira melhor livraria do mundo.

O que pouca gente sabe é que a Livraria Lello serviu também de cenário para a gravação de algumas cenas dos filmes de Harry Potter, emprestando a sua identidade à “Flourish & Blotts” em King’s Cross, onde os bruxos compram o material didáctico para Hogwarts.

JK Rowling viveu alguns anos na cidade do Porto, onde trabalhou como professora de Inglês. Depois de algum tempo a observar os alunos da Universidade do Porto com capas negras que faziam parte do uniforme académico, surgiu-lhe a inspiração para criar os uniformes da escola de bruxaria Hogwarts." (O meu Norte)













O serpentear da escadaria da Livraria Lello 





O Porto

A Ribeira do Porto








terça-feira, 11 de novembro de 2014

Doces tradicionais do Algarve



Eu não sou muito guloso, mas não me importava de comer alguns destes doces algarvios com um cafezinho.

Algarvios significa "do Algarve" e já sabem onde é que fica o Algarve, não sabem? Fica no sul de Portugal.



(Fotografia de Casa na aldeia)










Vinha numa planície dourada do Alentejo




Algures no Alentejo...



Reparem na palavra algures: significa "em alguma parte" ou "alguma parte".




(Fotografia de Casa na aldeia)




sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A vila de Marvão ao amanhecer



Assim de bonita é a vila alentejana de Marvão ao amanhecer. Neste fim de semana celebra-se a Festa da Castanha. São já trinta e um anos... Vamos fazer o magusto a Marvão!


A fotografia é de Bongo Inc.



XXXI Festa do Castanheiro em Marvão



Estamos muito próximos do dia 11 de novembro, dia de S. Martinho. Acho que todos sabem quem foi este santo de origem francesa, e que conhecem a história da capa e do mendigo.

É tempo de comer castanhas assadas, e para aqueles que podem, beber o vinho novo. Para quem não conhece esta terra alentejana, é uma boa ideia visitá-la nestes dias, 8 e 9. Há muita animação nesses dias.

Desta página, retiramos os seguintes dados:

Nos dias 8 e 9 de Novembro, o Município de Marvão promove a XXXI Festa do Castanheiro - Feira da Castanha. Neste grande evento, reconhecido como o mais autêntico e genuíno do País, a Vila de Marvão pretende homenagear uma espécie endógena da região, o Castanheiro, e o seu fruto, a Castanha. Todos os anos, no segundo fim-de-semana de Novembro, Marvão transforma-se na montra do mundo rural, como forma de dar a conhecer o que de melhor se produz no concelho.



Marvão (Fotografia de Fernanda). Espanha fica ao fundo


E o que é o magusto? Diz-nos a Wikipédia:

O Magusto é uma festa popular, cujas formas de celebração divergem um pouco consoante as tradições regionais. Grupos de amigos e famílias juntam-se à volta de uma fogueira onde se assam castanhas ou bolotas para comer, bebe-se a jeropiga, água-pé ou vinho novo, fazem-se brincadeiras, as pessoas enfarruscam-se com as cinzas, cantam-se cantigas. O magusto realiza-se em datas festivas: no dia de São Simão, no dia de Todos-os-Santos ou no dia São Martinho. Inúmeras celebrações ocorrem não só por Portugal inteiro mas também na Galiza (onde se chama magosto, em galego) e nas Astúrias. (...)

Leite de Vasconcelos considerava o magusto como o vestígio de um antigo sacrifício em honra dos mortos e refere que em Barqueiros era tradição preparar, à meia-noite, uma mesa com castanhas para os mortos da família irem comer; ninguém mais tocava nas castanhas porque se dizia que estavam “babadas dos defuntos”.

A celebração do magusto está associada a uma lenda, a qual dizia que um soldado romano de nome Martinho de Tours (mais tarde conhecido como São Martinho), ao passar a cavalo por um mendigo quase nu, como não tinha nada para lhe dar, cortou a sua capa ao meio com a sua espada; estava um dia chuvoso e diz-se que, neste preciso momento, parou de chover, derivando daí a expressão: "Verão de São Martinho".





quinta-feira, 6 de novembro de 2014

'Tás a ver (Gabriel o Pensador)



Gabriel Contino (Rio de Janeiro, 4 de março de 1974), mais conhecido pelo nome artístico Gabriel o Pensador, é um rapper, compositor, escritor e empresário brasileiro. 

Também podemos ouvir na canção a voz do cantor português Sérgio Godinho, amigo de Gabriel o Pensador. Dois versos ("Nossa vida é feita / de pequenos nadas") remetem para uma canção de Godinho ("A vida é feita de pequenos nadas"). O álbum deste, O irmão do meio, contou com a colaboração de Gabriel o Pensador: "Isto anda tudo ligado". Cliquem no link e escutem essa canção. Aparece também a banda de hip-hop portuguesa Da Weasel.


TÁS A VER?

Tás a ver o que eu estou a ver?
Tás a ver estás a perceber?
Tás a ouvir o que eu estou a dizer?
Tás a ouvir estás a perceber?
Eu tenho visto tanta coisa nesse meu caminho
Nessa nossa trilha que eu não ando sozinho
Tenho visto tanta coisa tanta cena
Mais impactante do que qualquer filme de cinema
E se milhares de filmes não traduzem nem reproduzem
A amplitude do que eu tenho visto
Não vou mentir pra mim mesmo acreditando
Que uma música é capaz de expressar tudo isso
Não vou mentir pra mim mesmo acreditando
Mas eu preciso acreditar na comunicação
Mas eu preciso acreditar na...
Não há melhor antídoto pra solidão
E é por isso que eu não fico satisfeito
Em sentir o que eu sinto
Se o que eu sinto fica só no meu peito
Por mais que eu seja egoísta
Aprendi a dividir as emoções e os seus efeitos
Sei que o mundo é um novelo uma só corrente
Posso vê-lo por seus belos elos transparentes
Mudam cores e valores mas tá tudo junto
Por mais que eu saiba eu ainda pergunto

Tás a ver a vida como ela é?
Tás a ver a vida como tem que ser?
Tás a ver a vida como a gente quer?
Tás a ver a vida pra gente viver?

Nossa vida é feita
De pequenos nadas

Tás a ver a linha do horizonte?
A levitar, a evitar que o céu se desmonte
Foi seguindo essa linha que notei que o mar
Na verdade é uma ponte
Atravessei e fui a outros litorais
E no começo eu reparei nas diferenças
Mas com o tempo eu percebi
E cada vez percebo mais
Como as vidas são iguais
Muito mais do que se pensa
Mudam as caras
Mas todas podem ter as mesmas expressões
Mudam as línguas mas todas têm
Suas palavras carinhosas e os seus calões
As orações e os deuses também variam
Mas o alívio que eles trazem vem do mesmo lugar
Mudam os olhos e tudo que eles olham
Mas quando molham todos olham com o mesmo olhar
Seja onde for uma lágrima de dor
Tem apenas um sabor e uma única aparência
A palavra saudade só existe em português
Mas nunca faltam nomes se o assunto é ausência
A solidão apavora mas a nova amizade encoraja
E é por isso que a gente viaja
Procurando um reencontro uma descoberta
Que compense a nossa mais recente despedida
Nosso peito muitas vezes aperta
Nossa rota é incerta
Mas o que não incerto na vida?

Tás a ver a vida como ela é?
Tás a ver a vida como tem que ser?
Tás a ver a vida como a gente quer?
Tás a ver a vida pra gente viver?

Nossa vida é feita
De pequenos nadas

A vida é feita de pequenos nadas
Que a gente saboreia, mas não dá valor
Um pensamento, uma palavra, uma risada
Uma noite enluarada ou um sol a se pôr
Um bom dia, um boa tarde, um por favor
Simpatia é quase amor
Uma luz acendendo, uma barriga crescendo
Uma criança nascendo, obrigado senhor
Seja lá quem for o senhor
Seja lá quem for a senhora
A quem quiser me ouvir e a mim mesmo
Eu preciso dizer tudo o que eu estou dizendo agora

Preciso acreditar na comunicação
Não há melhor antídoto pra solidão
E é por isso que eu não fico satisfeito em sentir o que eu sinto
Se o que sinto fica só no meu peito
Por mais que eu seja egoísta
Aprendi a dividir minhas derrotas e minhas conquistas
Nada disso me pertence
É tudo temporário no tapete voador do calendário
Já que temos forças pra somar e dividir
Enquanto estivermos aqui
Se me ouvires cantando, canta comigo
Se me vires chorando, sorri

Tás a ver a vida como ela é?
Tás a ver a vida como tem que ser?
Tás a ver a vida como a gente quer?
Tás a ver a vida pra gente viver?

Nossa vida é feita
De pequenos nadas


Tudo isto é muito atual



Atual e universal, não acham? Tudo é violência exercida pelos que estão lá em cima contra todos os outros.





(Fonte: Salvar o planeta - FB)




quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Escola pública: S.O.S.


Este quadradinho diz respeito à situação da educação pública no Brasil, mas serve também para a escola pública  espanhola. O que acham aqueles alunos que fizeram três dias de greve? Sabiam todos porque é que a faziam?

Isto é humor, humor negro, infelizmente. Embora não dê muito para sorrir, nem se fale em rir!




segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Fotografias do foto paper em Castelo Branco


Estas são duas das fotografias que nos enviou a colega Helena Almeida. Foram tiradas no foto paper realizado por equipas de alunos portuguese e espanhóis na parte histórica de Castelo Branco. Podem clicar para as verem maiores.

Estou à espera de mais fotografias, mas deviam ser os alunos a enviarem...






29 de outubro: Dia do Livro no Brasil



O dia 29 de outubro é celebrado o Dia do Livro no Brasil. Para nós ainda faltam alguns meses, até ao 23 de abril, mas por enquanto reparem nas palavras deste grande escritor brasileiro, Monteiro Lobato, de quem já falaremos noutro dia.

De certeza que a vossa colega Caroline leu algum livro dele. Vamos perguntar-lhe.


(Só mais uma coisinha: em Portugal, reparem, diriam "Um país faz-se com homens e livros")