Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O Pelourinho de Elvas




Na próxima terça-feira, os alunos do 4º ano vão visitar a Escola Secundária D. Sancho II de Elvas num programa de intercâmbio. Uma das atividades é um passeio pela cidade. É possível que vejamos o pelourinho, que fica na parte alta da cidade. Esperemos que não chova nesse dia...


O que é exatamente um pelourinho? A Wikipédia diz-nos o seguinte:

O Pelourinho, popularmente designado também como Picota, é uma coluna de pedra colocada num lugar público de uma cidade ou vila onde eram punidos e expostos os criminosos. Tinham também direito a pelourinho os grandes donatários, os bispos, os cabidos e os mosteiros, como prova e instrumento da jurisdição feudal.

(...) Os pelourinhos, normalmente, são constituídos por uma base sobre a qual assenta uma coluna ou fuste, terminando por um capitel.

* * * * * * *

E sobre o pelourinho de Elvas...

O pelourinho, sinal de autoridade e exposição, chega a Elvas no séc. XVI, sendo erigido na então denominada Praça Nova (hoje Praça da República), à entrada da Rua dos Sapateiros, onde esteve cumprindo a sua função até 2 de Outubro de 1872, dia em que foi apeado e destruído. Quando se constituiu o Museu Municipal parte do que restou do pelourinho foi aí guardado. Em 1940 é apresentado um projecto por Vitalino de Albuquerque para a reconstrução do pelourinho feito a partir de uma gravura publicada no jornal O Panorama. Aproveitando as partes originais guardadas e substituindo as desaparecidas foi reconstruído e colocado no Largo do Dr. Santa Clara.

(Fonte do texto: Câmara Municipal de Elvas)



 Uma fotografia antiga do pelourinho de Elvas