Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

2013 está indo embora voando...!



Voando mesmo, meus caros alunos. Da próxima vez, o ano letivo será o mesmo, claro, mas o ano será outro: 2014.  Seremos melhores nesse novo ano? Oxalá!

Bons desejos, sobretudo para aqueles que mais precisam... E agora um bocado de música. Os GNR tocam para nós Mais vale nunca.






Há um lixo novo pra limpar ao nascer
Um grito surdo que tentam calar

Vais ouvir e ver
Mais vale nunca
Nunca mais saber
Mais vale nada
Nunca mais querer
Mais vale nunca mais crescer

É tê e vê cérebro em fuga a dominar
Gene preguiçoso e letal
Olha pró que eu faço
Mais vale nunca
Nunca aprender
Mais vale nada
Nunca mais querer
Mais vale nunca mais crescer

Ficas a aprender
Mais vale nunca
Nunca mais saber
Mais vale nada
Nunca mais beber
Mais vale nunca mais crescer

Agora é a doer
Mais vale nunca
Nunca apetecer
Mais vale nada
Nunca escolher
Mais vale nunca mais crescer

Vais ouvir e ver...




O Cybercentro de Castelo Branco deseja-nos Festas Felizes



Aqueles alunos que participaram no último intercâmbio escolar com a EBI João Roiz de Castelo Branco hão de se lembrar da visita que fizemos ao Cybercentro.

De lá é que nos enviam este cartão de Natal, que eu publico aqui para todos os alunos do intercâmbio, e de certeza que podemos alargar para todos os alunos de Português da nossa Escola.



O Professor deseja também Boas Festas para todos. 
Aproveitem o tempo, já sabem!











quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Pense, é grátis




Isto dispensa qualquer comentário, não é? Vai tudo tão depressa que, às vezes, as pessoas não encontram um bocado de tempo para pensar, para refletir. E é "tão barato" que é grátis. Vejam lá!





"E você, jovem, tem ideias próprias?"



Dá para pensar um bocado este desenho de Quino, sim senhor!





quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Humor sobre o Natal




Humor para estes dias consumistas que temos pela frente. Cá em baixo, humor negro. Tudo é uma questão de perspetiva, de ver as coisas de outro ponto de vista...






(Fonte: Humor inteligente e Depósito de cartuns)



Amigo secreto (Caixa do Remédios)




Vocês jogam ao amigo secreto como quem escreveu isto?


Amigo Secreto

A minha turma vai, até ao natal, "jogar" ao amigo secreto.

Consiste, penso eu, até ao natal darmos pistas para a pessoa em questão descobrir quem somos e na ultima aula damos um presente e dizemos que somos nós. Parece engraçado certo?

Eu acho que é bastante entusiasmante, e acima de tudo unes um bocadinho mais as pessoas.

Estou super curiosa para saber quem é o meu. Será rapaz ou rapariga?

Tenho que esperar até à ultima aula.



(Fonte da tira: Literatortura)





segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

28 de outubro na Nazaré



Lembram-se das ondas tão grandes do mar da povoação portuguesa da Nazaré? Eis mais algumas.


(Vimos a 6 de novembro: "A surfar uma onda de 30 m na Nazaré ...")






Quadrilha (Carlos Drummond de Andrade)



Animação em Stop Motion com Bonecos de Lego do poema "Quadrilha" de Carlos Drummond de Andrade... Trabalho realizado por Cayo Cândido Rosa e Vítor Hadad. A voz que recita o poema é a do próprio autor.

Reparem num pormenor gramatical de que já temos falado várias vezes na sala de aula: o complemento direto de pessoa não é introduzido em português pela preposição a, como acontece  em espanhol.


Quadrilha

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade



 

domingo, 15 de dezembro de 2013

Bairro Alto: 500 anos de existência



Estes são os primeiros parágrafos de um artigo publicado em Café Portugal.


Bairro Alto - O «postal» de todas as classes sociais comemora 500 anos

O Bairro Alto, em Lisboa, foi construído há 500 anos para dar resposta ao rápido e acentuado crescimento populacional de Lisboa e ficou na História como a primeira grande urbanização da cidade. A 15 de Dezembro, comemora-se o aniversário que marca os cinco séculos de existência do Bairro. Este, nos dias de hoje, mantém a sua feição de sempre: casas humildes ao lado de palacetes. A colina lisboeta continua a ser um «postal» de todas as classes, defende a arquitecta Fabiana Pavel.

O «Bairro», como todos lhe chamam, comemora a 15 de Dezembro, 500 anos de existência, contados da primeira data conhecida do seu aforamento. É hoje, tal como no século XVI, «extremamente heterogéneo, do ponto de vista populacional e arquitectónico», explica a arquitecta Fabiana Pavel, doutoranda em Reabilitação Urbana pela Universidade Técnica de Lisboa, e com uma tese sobre o bairro.

(...)

Fabiana Pavel afirma que o Bairro se trata «da primeira grande urbanização da cidade, porque se construiu de uma vez, de acordo com regras estabelecidas, e se desenvolveu muito rapidamente, numa malha ortogonal, que se mantém como um marco na planta da cidade» (...)



As fotografias, de cima para baixo, são da autoria de Howard Stanbury, Giuseppe Pascale, Mário Silva, J. A. S. de Souza, xpgomes9, Teresa Teixeira e U.N.1.















sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

bica de pedra x aurélia (Paulo Ito)



Algures em S. Paulo, Paulo Ito fez esta pintura num muro. Não sei se vos sugere alguma coisa, ou se calhar estou a pedir muito...



quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Parabéns a Manoel de Oliveira pelo seu 105º aniversário

Fotografia de Eric Gaillard - Reuters


Damos os parabéns ao realizador português Manoel de Oliveira, que completou ontem 105 anos. Nem mais!


Filme da vida de Manoel de Oliveira chega aos 105 anos

Manoel Cândido Pinto de Oliveira nasceu a 11 de dezembro de 1908 na Cedofeita, no Porto. Hoje completa 105 anos. Conhecido como Manoel de Oliveira ostenta o título de realizador mais velho do mundo em atividade. Autor de 32 longas-metragens será neste dia alvo das mais diversas homenagens com destaque para a sua cidade natal onde será inaugurada a exposição "Manoel de Oliveira - 105 revistas" que deverá contar com a presença do realizador.


É uma notícia da RTP


Os 105 invernos de Manoel de Oliveira na revista Visão



*



quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

"Saudade é um pouco como fome." (Clarice Lispector)



Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

Clarice Lispector



Medo de mim (Deolinda)




O "Medo de Mim" nasceu no dia em que visitámos a casa de Nelson Mandela no bairro do Soweto. Fica a nossa homenagem a um grande homem!

Estas são palavras dos Deolinda. Como já devem saber, Nelson Mandela morreu no passado dia 5 de dezembro.



 MEDO DE MIM

Quando me queres incluir
e me pões a dormir
num bairro qualquer por aí

E a lição de bem-estar
é não incomodar
quem veja incómodo em mim

Por mais passos que eu dê
mesmo sem querer
irei sempre bater
ou esbarrar contra ti

É teu o meu espaço
e p´lo teu embaraço
pelas portas d´aço
eu já percebi:

Tens medo de mim
Tens medo de mim
Tens medo de mim

Quando me vens revistar
só porque dou ar
de não ser daqui nem dali

E para me proteger
impões um poder
que não olha a meios pró fim

Todo o gesto que eu faça
é vil ameaça
que anulas e esmagas
e vejo assim
que a força que empregas
é injusta e cega
não vê em quem acerta
e acertas em mim

Tens medo de mim
Tens medo de mim
Tens medo de mim

Quando me culpas e prendes
tudo porque entendes
que isso é melhor para mim

Eu, mesmo inocente,
sou sempre diferente
porque não sou igual a ti

Agora, não entendo,
porquê este medo
brutal e tão extremo
que a ninguém faz crer

que estou na cadeia
porque a tua carteira
caiu, apanhei-a,
e quis devolver

Tens medo de mim
Tens medo de mim
e eu medo de ti



terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Técnicas internacionais para a solução de problemas



Evidentemente, nenhum aluno terá qualquer dúvida sobre o último país da lista, é claro.


(Fonte: Humor inteligente)




Assim era Isabel de Portugal

Pintura de Ticiano no Museu do Prado

Na aula da passada quinta-feira, a professora Catarina falou-nos da data 1 de dezembro de 1640 e do que se passou desde o ano 1580 até essa altura, em que os reis de Portugal foram castelhanos, espanhóis.

Só recordar aqui isto: "Em 1580, nas Cortes de Tomar, Filipe II, rei de Espanha, foi escolhido como o novo rei de Portugal. A razão para a escolha foi simples: Filipe II era filho da infanta D. Isabel e também neto do rei português D. Manuel, por isso tinha direito ao trono." (Site Júnior)

A mensagem de hoje é para saber um pouco da mãe do nosso Filipe II, Isabel de Portugal, imperatriz do Sacro Império Romano-Germânico. Reparem no quadro, uma obra-prima do pintor italiano Ticiano.

D. Isabel de Portugal (Lisboa, 24 de Outubro de 1503 — Toledo, 1 de Maio de 1539) foi filha do rei D. Manuel I e da rainha D. Maria de Aragão e Castela. Diziam-na belíssima, como prova o retrato pintado por Ticiano. Morreu de complicações no parto, no Palácio de Fuensalida em Toledo, estando sepultada no Panteão do Escorial.

Era irmã de D. João III e do Cardeal-Rei D. Henrique, reis de Portugal. Inteligente e culta, criada no esplendor da mais rica corte europeia do seu tempo, em Lisboa, na educação da imperatriz participaram também, por influência de sua mãe, os castelhanos Beatriz Galindo, la Latina e o humanista Luís Vives. Foi longamente regente em nome de Carlos V, entre 1528 e 1533, primeiro, e de 1535 a 1538 novamente, enquanto o marido se ausentou, em guerra.

Além disso, teve muita importância em relação à educação do seu primogénito, que viria a ser Filipe II de Espanha, e I de Portugal, de língua materna portuguesa, criado e educado pelas damas lusitanas de sua mãe durante a infância.

(Wikipédia)



segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

"Falamos Português" em Canal Extremadura - 7 de dezembro de 2013



Programa Falamos Português do dia 7 de dezembro no Canal Extremadura. Nele Jacques Songy e Paula Ferreira ensinam aos telespectadores o uso do futuro simples do modo indicativo em português e recomendam-nos alguns museus da raia e de Portugal.








sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Morreu Nelson Mandela



"Morreu Madiba. Morreu Nelson Mandela. Homem de Estado, Presidente da África do Sul (1994-1999), o mais conhecido presidiário do mundo, defensor da liberdade e dos direitos dos desfavorecidos, paladino da igualdade de oportunidades e do fim de todas as formas de opressão, Nelson Mandela morreu hoje [dia 5] em casa em Joanesburgo. Tinha 95 anos de idade."

(A notícia no Expresso)


Trazemos uns versos de um autor alemão que parecem  ter sido escritos de propósito para homens como Nelson Mandela, que passou 27 anos da sua vida na prisão por defender os direitos da povoação negra da África do Sul, que não existiam para a minoria branca no poder,  e foi um exemplo para muitas pessoas em todo o mundo.


Há homens que lutam um dia, e são bons
Há os que lutam um ano, e são melhores
Há homens que lutam muitos anos, e são muito bons
Mas há os que lutam toda a vida...
Esses... são os imprescindíveis...

Bertolt Brecht


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Antes o poço da morte (Sérgio Godinho + Xutos & Pontapés )



O grande cantor Sérgio Godiho revisita uma das suas canções com a colaboração de uma banda portuguesa, os Xutos & Pontapés, que têm uma carreira de mais de trinta anos!

Godinho é um grande contadro de histórias, já cá esteve no blogue e há de vir, até com alguma das canções já publicadas no blogue. Valem realmente a pena.

Cantemos com eles! Ficar parado? / Antes o poço da morte  / que tal sorte. Lá em baixo há umas fotografias para melhor perceberem a canção.


ANTES O POÇO DA MORTE

Como no poço da morte
como no poço da morte
a gente roda e gira e gira
a gente joga tudo
a gente arrisca a vida
a gente roda e gira
rumo à terra prometida
e quando lá chegamos
já a encontramos revolvida
a terra que sempre se desejou
e que se deixa de reconhecer
no dia em que se vai p'ra lá morar

Mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca!
Ficar parado?
Antes o poço da morte
que tal sorte

Como no poço da morte
como no poço da morte
a gente roda e nos ouvidos
os motores vão formando melodias
cantadas logo em coro
P'ra conjurar avarias
que os motores nunca falhem
que esta vida são dois dias
são viras e são rocks e são hinos
que a gente deixa de saber de cor
no instante que se acaba de cantar

Mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca!
Ficar parado?
Antes o poço da morte
que tal sorte

Como no poço da morte
como no poço da morte
a gente gira contra ventos e marés
e tempestades e tornados
como os miúdos teimam
em ficar acordados
e lutam contra o sono
com os olhos arregalados
assim nós também p'ra lá da fadiga
giramos acordamos e dizemos:
eu tenho a morte toda p'ra dormir

Mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca
Ficar parado?
Antes o poço da morte
que tal a sorte

Como o poço da morte
como o poço da morte
a gente roda e gira e queima o tempo
e queima gasolina e queima etapas
a gente puxa o brilho
aos motociclos e nas chapas
reluzem nossos fatos
nossas botas, nossas capas
e com a certeza já de estontearmos
ligamos os motores um dia mais
E vai de roda e gira sem parar

Mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca
Ficar parado?
Antes o poço da morte
que tal sorte














1º de dezembro: Dia da Restauração da Independência

Obelisco comemorativo da restauração da independência em Lisboa
(Praça dos Restauradores)


A Restauração da Independência é a designação dada ao golpe de estado revolucionário ocorrido a 1 de dezembro de 1640, chefiada por um grupo designado de Os Quarenta Conjurados e que se alastrou por todo o Reino, pela revolta dos portugueses contra a tentativa da anulação da independência do Reino de Portugal pela governação da Dinastia filipina castelhana, e que vem a culminar com a instauração da 4.ª Dinastia Portuguesa - a casa de Bragança - com a aclamação de D. João IV.

Esse dia, designado como Primeiro de Dezembro ou Dia da Restauração, é comemorado anualmente em Portugal com muita pompa e circunstância desde o tempo da monarquia constitucional. Uma das primeiras decisões da República Portuguesa, em 1910, foi passá-lo a feriado nacional como medida popular e patriótica. No entanto, essa decisão foi revogada pelo XIX Governo Constitucional, de Passos Coelho, passando o feriado a comemorar-se em dia não útil a partir de 2012.

(Wikipédia)

O Dia da Restauração da Independência no site Júnior.



*


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Para quem ainda diz "Eu foi"


Lá isso é. Como diz o cão: Eu fui, porque foi é terceira pessoa, para ele, ela, você, o senhor, a senhora..., mas não para a primeira. Insisto:

Eu fui



(Fonte: Humor inteligente)




O que é uma cábula?




Esta mensagem não é para encorajar os alunos a usarem cábulas nos exames, é claro, mas simplesmente para conhecerem os significados desta palavra em português. Lembrei-me dela porque houve uma aluna do 4º ano que foi surprendida pelo professor com uma cábula escrita na mão durante a prova do Primeiro Período. Vejamos o que o Dicionário da Academia das Ciências nos diz:


cábula (1)

s.f 1. Falta de assiduidade do estudante às aulas e de aplicação no estudo ≈ CABULICE. 2. Manha ou ardil com o fim de se esquivar ou fugir a obrigações ou incumbências. Usou de cábula para não ser o escolhido para o desempenho daquela tarefa desagradável. 3. Apontamento escrito, preparado pelo estudante, com o fim de o utilizar fraudulentamente em prova, em trabalhos escolares.

cábula (2)
s. m. e f. 1. Estudante pouco aplicado, pouco estudioso, pouco assíduo às aulas. O filho é um cábula, só estuda mesmo em cima dos exames. 2. Pessoa manhosa, ardilosa, que se esquiva de cumprir as suas obrigações.



terça-feira, 3 de dezembro de 2013

A leitura prejudica alguma coisa?



Pois é, a leitura tem este devastador efeito sobre a ignorância. Viver na ignorância é terrível. É por isso que ler faz bem à saúde.


(Fonte: Eu amo ler)




segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

"Falamos Português" em Canal Extremadura - 30 de novembro de 2013


Programa Falamos Português do dia 30 de novembro no Canal Extremadura. Nele trata-se do uso do condicional, dos adjetivos e dos seus graus e aprendem-se várias maneiras de dar uma opinião.






Já te imaginaste a nadar ao lado de porcos?




Já te imaginaste a nadar ao lado de porcos?

Na ilha de Big Major Cay, nas Baamas, os porcos são autênticos nadadores.

São cerca de vinte porcos, que habitam a ilha juntamente com gatos e cabras. Os humanos que por ali passam são turistas mas ninguém habita permanentemente a ilha.

Não há ainda um estudo científico que identifique a real causa para este fenómeno. Uma das teorias diz que os porcos foram deixados na ilha por um grupo de marinheiros que tencionava regressar mas nunca voltaram. Os porcos sobreviveram com os restos de comida deitada à água por barcos em passagem.

Outra possível causa, dizem, é que os porcos foram os únicos sobreviventes de um naufrágios. Há ainda quem associe estes porcos a uma atração turística para aquela ilha das Baamas.


Esta curiosa notícia foi retirada da revista Forum - Estudante. Há um link no blogue.



quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Uma entrevista com a cantora Mariza


 
Entrevista concedida em 2009 pela cantora de fado Mariza à SIC (siglas de Sociedade Independente de Comunicação, que foi a primeira estação de televisão portuguesa de carácter privado. As suas emissões iniciaram-se a 6 de Outubro de 1992, tornando-se no terceiro canal generalista.)

Mariza é uma das vozes mais internacionais da música portuguesa. Aqui  fala de quando ela começou a cantar, com apenas 5 anos, vejam só!, e do percurso que seguiu até a altura da entrevista. Para completar o que se diz no nosso livro sobre ela, é que publico aqui esta mensagem, ou este post, como dizem outros.

Ei-la a cantar um dos seus maiores sucessos, Ó gente da minha terra., já publicado no blogue; agora há uma diferença, Mariza canta ao vivo.

Reparem na forma vós (como já sabem, práticamente desaparecida, substituída por vocês).


Ó GENTE DA MINHA TERRA

É meu e vosso este fado
Destino que nos amarra
Por mais que seja negado
Às cordas de uma guitarra

Sempre que se ouve o gemido
De uma guitarra a cantar
Fica-se logo perdido
Com vontade de chorar

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que a recebi

E pareceria ternura
Se eu me deixasse embalar
Era maior a amargura
Menos triste o meu cantar

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que a recebi

(SOLO)

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que a recebi







terça-feira, 26 de novembro de 2013

Qual será "O Ouro do Sul"?



O ouro do Sul é, naturalmente, a cortiça, que é tirada dos sobreiros. Portugal é primeiro país produto de cortiça do mundo.

No dia 21 de Novembro teve início, no Museu Botânico de Beja (IPBeja), a exposição "O Ouro do Sul", com imagens captadas pelo fotógrafo Filipe Barroso.

Essas fotografias documentam o trabalho de uma equipa de descortiçamento, numa herdade do Concelho de Grândola, na vizinha região do Alentejo.


(Fonte: Casa na aldeia)




Grândola é uma vila portuguesa no Distrito de Setúbal, região do Alentejo e sub-região do Alentejo Litoral, com cerca de 10600 habitantes.



"Falamos Português" em Canal Extremadura - 23 de novembro de 2013


Programa Falamos Português do dia 23 de novembro no Canal Extremadura. O professor Luís Leal viaja até Estremoz para conhecer o seu mercado dos sábados. Vende-se ali muita coisa, como podem comprovar. E até podem comer uma boa fartura!

O programa trata dos pronomes possessivos, dos diferentes tipos de formas, materiais e outras características de productos, dos tipos de negócios e estabelecimientos comerciais. Para além disso, aprendemos o nome de muitos alimentos e tipos de roupa.





segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Para praticar o Infinitivo Pessoal



Vamos praticar o infinitivo pessoal. O mais fácil primeiro. Convirtam as frases seguintes com que mais o presente do conjuntivo usando o infinitivo pessoal.

Reparem: o que não pode ficar nas novas frases, desaparece; e reparem também na pessoa gramatical.

É melhor que compremos estes livros e não esses.
É importante que os senhores leiam tudo com muita atenção.
Antes de que saias de casa, telefona ao Miguel.
Até que não digas o que vais fazer, eu não digo nada.
O exercício número 4 é para que o façam agora.

Agora, um pouco mais difícil. Traduzam as seguintes frases em espanhol para português usando o infinitivo pessoal. Cuidado com o que e as pessoas gramaticais, o sujeito do infinitivo!

Com expressões impessoais como É melhor / É possível / É provável / É bom...

Es mejor que hagas eso hoy y no mañana.
Es posible que tus hermanos vengan a comer pasado mañana.
Es probable que nosotros tengamos que hacer todo.

Com preposições e locuções prepositivas: ao; para; por; até; antes de; depois de; apesar de; no caso de...

Nos quedamos aquí hasta que vosotras terminéis eso.
Al llegar a Lisboa, escríbeme una postal bonita.
Esta película es para que la veas mañana.
En el caso de que ustedes vendan la casa,  avísenme, por favor.

Lembrem-se das desinências deste tempo tão curioso da língua portuguesa, iguais em todos os verbos, quer sejam regulares, quer sejam irregulares, pois parte-se sempre do Infinitivo Impessoal, A primeira e terceira pessoas do singular ficam sem desinência nenhuma:

Eu falar /dizer, etc.
Tu falares /dizeres, etc.
Ele, ela, você... falar / dizer, etc.
Nós falarmos / dizermos, etc.
Vocês falarem / dizerem, etc.
Eles, elas falarem / dizerem, etc.


Fotografia do blogue Burro velho não aprende línguas, de uma mensagem onde se fala do Infinitivo Pessoal.



Esta é uma verdade tão grande!


Com esta verdade tão grande, que alguns dizem "grande como punhos", comprovam que o infinitivo pessoal é um tempo vivo na língua portuguesa e não uma coisa estranha dos livros.

E pensem um bocado no conteúdo da frase...


(Fonte: Causas perdidas)



sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Cristiano Ronaldo: "Eu estou aqui"



"A música é de Pedro Abrunhosa, e parece que foi escrita para o Melhor Jogador do Mundo..." escreveu quem publicou este vídeo em Youtube.

Eu não gosto de futebol, é por isso que não sou suspeito de apoiar Cristiano Ronaldo ou o Real Madrid. Isto aparece aqui por ele ser português e um grande jogador de futebol que todos vocês conhecem.

O cantor portuense Pedro Abrunhosa virá ao blogue proximamente.


A seguir, a notícia do jornal desportivo A Bola:

«Demonstrei que estou presente e voltei a ajudar a Portugal» - Cristiano Ronaldo

«Eu estou aqui». A já célebre frase com que Cristiano Ronaldo celebra os golos que marca foi escutada três vezes no Friends Arena, em Estocolmo. O capitão da equipa das Quinas rejeita o estatuto de herói nacional e diz ter cumprido com a obrigação de ajudar a Seleção Nacional a carimbar a quarta presença consecutiva em Campeonatos do Mundo.

«Fiz o meu trabalho como tenho feito nos últimos tempos. Não tenho de dar resposta a ninguém. Tento dar sempre o meu melhor. Batalhámos, sofremos. É assim que as equipas grandes vão longe. Deixámos crescer um pouco a Suécia depois do empate, recuámos e sofremos o segundo golo. Faz parte do futebol, nunca se sabe quem ganha. Por isso é que o futebol é brilhante. Fomos melhores nos dois jogos. Fomos os justos vencedores», sentenciou CR7, em declarações à RTP.

Os três golos em Estocolmo colocam o capitão da equipa das Quinas a par de Pauleta no topo da lista dos melhores marcadores da Seleção Nacional, com 47 tentos apontados.

«Os recordes são para ser batidos, mas não é a minha prioridade bater o recorde do Pauleta. Sabia que isso iria acontecer naturalmente. Estamos empatados mas estou focado em ajudar a Seleção. Demonstrei que estou presente e voltei a ajudar a Portugal», realçou Ronaldo.

«A equipa está de parabéns. Conseguimos o objetivo que pretendíamos. Agora é tempo desfrutar, descansar e regressar aos clubes de consciência tranquila e fazer uma grande época. Vamos formar uma grande Seleção e dar uma boa resposta no Mundial», atirou o capitão da seleção de todos nós.





quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Um caixa automático muito original


Parece que continuamos a falar de dinheiro, mas não é isso. As aparências iludem, percebem?

A fotografia vinha acompanhada deste comentário:

"Olhem que legal o caixa eletrônico que há no estande do Banrisul na 59ª Feira do Livro de Porto Alegre! Em vez de extratos bancários, fornece contos e poemas... "

É claro que estamos no Brasil. Porque é que sabemos isso? Reparem nessa palavra:  legal. Lemos no Dicionário Priberam

4. [Brasil, Informal] Que denota qualidades positivas (ex.: óculos legais, filme legal, garota legal, sugestão legal). = BOM, BACANA - ).

Em Portugal diriam, por exemplo, fixe em vez de legal.Vamos ao Priberam mais uma vez:

1. [Portugal, Informal] Que agrada ou tem qualidades positivas (ex.: o livro é muito fixe). = BOM, PORREIRO

2. [Portugal, Informal] Que inspira simpatia (ex.: os teus colegas são fixes). = SIMPÁTICO
.


Alguem já viu uma nota destas?



Ninguém viu? Vamos lá ver... Onde é que está a piada desta nota?


[sãĩ] é a transcrição fonética de duas palavras em português: cem e sem. Duas palavras diferentes mas cuja pronúncia é exatamente igual, embora haja uma pequena diferença: a primeira é tónica e a segunda, átona.

Quem fez este desenho, não sabemos, está a brincar com isto.



terça-feira, 19 de novembro de 2013

Pronto, Iván, leva a taça!



O Iván, da turma de 3º D, e os colegas dele, aprenderam ontem qual a origem exata da expressão idiomática espanhola "Para ti la perra gorda", e a equivalente em português, leva a taça, porque o Professor acabou por responder dessa maneira quando ele disse que nem sequer com a aula toda teriam tempo para fazer uma simples prova de verbos, que o Professor tinha calculado em 20 minutos. O Ivan a teimar, a teimar, e afinal até ele acabou a prova um bocadinho antes dos vinte minutos!

Afinal foi bom porque aprenderam uma coisa nova, e aprender sempre é bom, mesmo bom.

Não se esqueçam desta expressão: levar a taça. Usa-se na mesma situação do que a espanhola.

A respeito da palavra taça, cuidado, é falso amigo: 1. Vaso para beber, com pouco fundo e boca larga; copo. 2. [Desporto] Troféu atribuído ao vencedor ou à equipa vitoriosa numa prova desportiva. (Dicionário Priberam)

"Para ti la perra gorda: Frase de significado similar a «para ti la razón» y que suele emplearse para, aunque no sea acertada su opinión, nuestro contrincante en una disputa o en una discusión se calle. Se llamaba 'perra gorda' a la antigua moneda de diez céntimos y 'perra chica' a la de cinco. El dicho tiene que ver, por lo tanto, con una apuesta hecha a propósito de dos opiniones encontradas." ou dito de outra maneira mais breve: "Se usa para poner fin a una discusión que resulta pesada dando la razón al contrario. "

"La perra gorda era el nombre coloquial con el que se denominaba a la moneda española de 10 céntimos de peseta. Este nombre fue dado en alusión al extraño león (al que se confundía con un perro) que aparecía en el reverso, asimismo, se le llamaba perra chica a la moneda de iguales motivos en anverso y reverso con la mitad de peso, tamaño y valor (5 céntimos)". (Wikipedia).