Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Vitaminas e minerais



Daniel Carvalho fez o desenho para ilustrar estes dados sobre vitaminas.




Dois bons amigos



Não me lembro do nome do autor desta fotografia, mas lembro-me, sim, da "história" dela. Parece que estes dois animaizinhos tão diferentes eram uns ótimos amigos, passavam uma boa parte do tempo sem se separarem e até dormiam juntos, a tocar-se. Precisavam um do outro.

O contato entre as pessoas é muito importante para o seu desenvolvimento afetivo. Também para os animais. Aqui temos animais, e ainda por cima muito diferentes, mas eles precisam desse contato para se sentirem à vontade, seguros. No fundo, como nós precisamos disso.



Uma portuguesa, campeã do mundo de bodyboard



Portuguesa Teresa Almeida é campeã do mundo de bodyboard

Tiago Luz Pedro
12/12/2014 - 22:56

Atleta do Vimeiro venceu campeonatos disputados no Chile. Há 16 anos que o título feminino não vinha para Portugal.


A portuguesa Teresa Almeida sagrou-se nesta sexta-feira campeã do mundo de bodyboard, ao vencer a final disputada a quatro nos campeonatos que decorreram no Chile.

Na derradeira etapa, a atleta natural do Vimeiro levou a melhor sobre a venezuelana Yuleiner Gonzalez, a francesa Anne Cecile Lacoste e a brasileira Neymara Carvalho para conquistar a medalha de ouro no escalão feminino.

Outros portugueses estiveram em destaque na competição, com Madalena Guerra a conquistar a medalha de bronze feminina em sub-18 e Miguel Adão a conseguir um 4.º lugar nos homens na mesma categoria. Um total de 170 atletas de 24 países disputaram o mundial, que se realizou este ano na Playa Cavancha, na estância balnear chilena de Iquique


É uma notícia do diário Público




Fotografias: ISA / Rommel Gonzales




A sábia sabiá sabia reconhecer o canto dos outros pássaros


Um pequeno trava-línguas com o sabiá, um pássaro brasileiro, um adjetivo e um verbo.

A sábia sabiá sabia reconhecer o canto dos outros pássaros.

"Em 2002, se tornou através de uma lei a ave símbolo do Brasil, em São Paulo já era usada como símbolo desde 1966." A ave também está no emblema da Copa das Confederações de 2013*.

Em baixo, podem vê-la melhor: linda sabiá-laranjeira. No vídeo, podemos ouvir o seu canto.









Isto é difícil, não é?




Difícil, mas difícil mesmo. Será possível diminuir um bocado, pelo menos, o consumismo?

Vocês já deram um presente a alguém porque era quase "obrigatório" oferecer? Ou receberam um presente desse jeito? Toca a oferecer e como não faço ideia de como é que é essa pessoa, compro qualquer coisa...






sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A palavra convence, mas...






Movimento perpétuo associativo (Deolinda)

Capa do primeiro álbum dos Deolinda, Canção ao lado


Há várias canções do grupo Deolinda no blogue (Seja agora, Medo de mim, e a mais recente, Parva que eu sou) , mas com esta voltamos para trás no tempo: Movimento perpétuo associativo.

"Vão sem mim que eu vou lá ter". Este verso da canção Movimento perpétuo associativo do grupo português Deolinda foi uma das frases do ano 2008. A canção teve tal êxito que houve quem propussesse substituir o hino nacional português por ela.

"Deolinda é um projecto de música popular portuguesa, inspirado pelo fado e as suas origens tradicionais. Formado em 2006, por quatro jovens músicos com experiências musicais diversas (jazz, música clássica, música étnica e tradicional), procuram, através do cruzamento das diferentes linguagens e pesquisa musical, recriar uma sonoridade de cariz popular que sirva de base às composições originais do grupo".

Mais sobre este disco:

"Canção ao Lado", o álbum de estreia dos Deolinda, foi considerado pelo Sunday Times o terceiro melhor disco do ano de World Music. "Ana Bacalhau e os seus comparsas cruzam o sentimento do fado com a sensibilidade da pop, de olhos postos no quotidiano lisboeta. As canções são belíssimas", deu no Sunday.



MOVIMENTO PERPÉTUO ASSOCIATIVO

Agora sim, damos a volta a isto!
Agora sim, há pernas para andar!
Agora sim, eu sinto o optimismo!
Vamos em frente, ninguém nos vai parar!

Agora não, que é hora do almoço...
Agora não, que é hora do jantar...
Agora não, que eu acho que não posso...
Amanhã vou trabalhar...

Agora sim, temos a força toda!
Agora sim, há fé neste querer!
Agora sim, só vejo gente boa!
Vamos em frente e havemos de vencer!

Agora não, que me dói a barriga...
Agora não, dizem que vai chover...
Agora não, que joga o Benfica...
e eu tenho mais que fazer...

Agora sim, cantamos com vontade!
Agora sim, eu sinto a união!
Agora sim, já ouço a liberdade!
Vamos em frente, é esta a direcção!

Agora não, que falta um impresso...
Agora não, que o meu pai não quer...
Agora não, que há engarrafamentos...
Vão sem mim, que eu vou lá ter...


Página de Deolinda











Um diálogo na livraria


Não é a primera vez que a Livreira Anarquista vem fazer-nos uma visita.


FREGUESA: Queria um livro para uma rapariga de 26 anos que é decoradora de infância… 

LIVREIRA ANARQUISTA (reticente): …..decoradora de infância?!

FREGUESA: Sim, decoradora de infância…ela fez mesmo o curso e tudo! (Momento de alguma turbulência…estabilização suave da máquina….humm…já sei! A rapariga deve decorar quartos para crianças, sim, parece-me plausível! E como é giro inventar novas categorias profissionais, o epíteto não seria de espantar)

LIVREIRA ANARQUISTA (toda contente por aquilo parecer estar a solucionar-se naturalmente): Por acaso recebemos um livro, há pouco tempo, que é especificamente sobre decoração de quartos para crianças, penso que será perfeito!

FREGUESA (a olhar-me como se eu fosse demente): O quê? Decoração de quartos?! Isso não lhe serve de nada! (risos) Dê-me mas é um de histórias tradicionais ou de actividades com coisas de plástico, para ela fazer com os miúdos no infantário! …”decoração de quartos”! (mais risos)


Adenda: Caso não tenha percebido, no universo desta freguesa, Decoradora de Infância substitui a nossa usual Educadora de Infância. Paralelismo encontrado na cultura popular: Amiga 1: Oh, que filha tão linda que tens, como se chama? Amiga 2: Chama-se Sonasol….e a tua também é muito linda, como se chama? Amiga 1: A minha chama-se Maria. Amiga 2: MARIA?!?! AHAHAHA! Isso é nome de bolacha!




Uma borboleta




 Uma borboleta, parece que fossem mais..,







quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Crise social






O Inverno de Arcimboldo



Giuseppe Arcimboldo (1527–1593) foi um pintor italiano que compôs rostos humanos usando cenouras, beringelas, rabanetes, tomates, cebolas, alhos, uvas, azeitonas, pêssegos, figos... e mais coisas.



Fábio Moon & Gabriel Bá são 10 Pãezinhos








Fábio Moon e Gabriel Bá nasceram em S. Paulo e são irmãos gémeos, contadores de histórias nos seus quadrinhos (em Portugal, quadradinhos). Eles criaram os 10 Pãezinhos.









quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

"Quem lê com prazer..."




Já não me lembro... Será que este autocarro já passou por aqui?






Gostam do meu jeito de arranjar o cabelo?




Dicionário Priberam

jeito

1. Modo particular; maneira de ser ou de agir. = FEIÇÃO
2. Gesto habitual.
3. Leve movimento. = GESTO
4. [Informal] Lesão em músculo ou tendão causada por determinado movimento. = TORÇÃO, TORCEDURA
5. Habilidade para determinada atividade ou tarefa. = APTIDÃO, INCLINAÇÃO, PROPENSÃO
6. Disposição, arrumação, ordem.
7. Solução, remédio (ex.: acho que esse problema já não tem jeito)



terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Cuidado com os ecrãs!



O que se diz aqui serve, naturalmente, para os adultos tembém. O problema com os meninos e adolescentes é que estão a crescer. Vejam  os efeitos de dedicar muito tempo diário aos computadores, tablets, telemóveis... A notícia é de há alguns meses, mas não faz mal. 


Querido ecrã, precisamos de dar um tempo

12.02.2014 Por Hugo Pereira, fisiologista do exercício

Quanto menor e mais tardia for a exposição de crianças aos estímulos de computadores, tablets e smartphones, maiores os ganhos de saúde.

Um pouco por todo o mundo tem-se assistido a um enorme aumento do tempo que as crianças passam em frente a um ecrã – computador, televisão, consolas ou smartphones e tablets. Este é, para eles, o seu passatempo favorito. Contudo, é possível que este novo padrão esteja relacionado com o aumento do peso, pela sua relação com outros comportamentos menos saudáveis, como a alimentação desregulada, padrão irregular de sono e a diminuição da actividade física.

De acordo com uma revisão de estudos, existe uma relação directa entre o “tempo de ecrã” e o risco de desenvolver diabetes de tipo 2, doença cardiovascular e com o risco de morte por qualquer causa em adultos. A associação entre o “tempo de ecrã” e os factores de risco aponta para valores superiores a duas horas por dia como sendo problemáticos. Nas crianças, o “tempo de ecrã” parece estar associado à gordura abdominal, ao índice de massa corporal e a outros factores de risco, independentemente da actividade física, apresentando relação directa com problemas de atenção. Segundo esta fonte, as entidades europeias devem considerar o “tempo de ecrã” como um comportamento separado do restante tempo sedentário.

Quanto menos e mais tarde a criança for exposta a estes estímulos, maiores os ganhos de saúde. Há alguma evidência de que o “tempo de ecrã” possa ser reduzido através de medidas simples e sistemáticas de ruptura com os padrões estabelecidos e, sobretudo, através da consciência parental.

De acordo com uma alargada revisão da literatura publicada já este ano, é relativamente difícil alterar uma actividade habitual pela imposição. Porém, é possível reduzir o “tempo de ecrã” se forem utilizadas estratégias que possibilitem o envolvimento da família como modelo de actuação que atrai a criança para longe do ecrã ou simplesmente lhe proporciona a oportunidade de escolher conscientemente como quer gastar o seu tempo livre.

Nesta linha, o Departamento de Saúde Norte-Americano estabeleceu a redução da exposição aos ecrãs como uma das prioridades do seu plano de saúde a dez anos. Advogam que crianças até aos dois anos de idade não devem ter contacto com ecrãs e que os adolescentes permaneçam até ao máximo de duas horas por dia neste tipo de actividade.

Pensando numa alternativa positiva, podemos considerar os jogos de vídeo activos como opção à actividade puramente sedentária, já que representam ligeiros aumentos da actividade física. Porém, a estratégia global pode e deve estender-se a outras actividades sem ecrã e que idealmente envolvam toda a família. Talvez as brincadeiras de trepar às árvores e corridas de apanhada de outros tempos possam ser recuperadas ou, simplesmente, tenha chegado a altura dos pais aprenderem a andar de skate com os seus filhos.

Hugo Pereira é Fisiologista do exercício e Personal Trainer

Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa


Notícia lida no diário Público

É muito melhor fazer desporto, pois, e não abusar dos ecrãs!





Carreirismo (Mário-Henrique Leiria)



Volta ao blogue Mário-Henrique Leiria, que já esteve aqui com "História exemplar" e "A sombra".


CARREIRISMO

Após ter surripiado por três vezes a compota da despensa, seu pai admoestou-o.
Depois de ter roubado a caixa do senhor Esteves da mercearia da esquina, seu pai pô-lo na rua.
Voltou passados vinte e dois anos, com chofer fardado.
Era Director Geral das Polícias. Seu pai teve o enfarte.




Aqui podemos ver este breve texto interpretado pelo ator português Mário Viegas:






Mais um azulejo



Este é um dos muitos padrões que podemos encontra nos azulejos portugueses. Uma boa herança que nos deixaram os árabes na Península Ibérica, e que em Portugal atinge o seu esplendor.







sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Lisboa vista em BD por um espanhol



Andava isto esquecido na pasta dos rascunhos, como podem ver pela data da notícia. Eu gostei e comprei o livro... Façam favor. Cliquem no link Lisboa - David Pintor e desfrutem desta bela banda desenhada sobre a cidade de Lisboa.


David Pintor, um espanhol que publica em livro um passeio ilustrado por Lisboa

12 de Novembro de 2013

David Pintor, caricaturista e pintor espanhol, percorreu as ruas de Lisboa, demorou-se a mirar os monumentos, a calçada e os elétricos, transpondo-os para o livro de viagens "Lisboa", que apresenta no sábado na capital.

O livro, a editar pela Kalandraka, é um passeio ilustrado por Lisboa, sem texto, com uma visão pessoal de David Pintor sobre a cidade, com elementos repetidos em todos os desenho: uma bicicleta, sardinhas que voam e o próprio autor, empunhando, por vezes, um violino.

"Tenho duas paixões na vida: viajar e desenhar, e quando há uns anos falei com os editores da Kalandraka, propus-lhes fazer uma coleção de livros de viagens, dedicada às cidades que mais me inspiravam", explicou David Pintor em entrevista à agência Lusa.

Depois de ter desenhado Santiago Compostela, avançou para Lisboa, cidade que conheceu no verão, há meia dúzia de anos, e que lhe ficou na memória.

"No momento em que decidi qual seria a cidade para o segundo livro, tudo foi claro: Lisboa, uma cidade que me apaixonou desde o primeiro dia e à qual queria prestar uma homenagem pessoal em forma de livro ilustrado. Lisboa é para mim uma das cidades com mais encanto na Europa", sublinhou.

"Lisboa" é um livro para leitores de todas as idades - explicou - e no qual se revela um "turista acidental" que andou a passear pela cidade, não só pelos sítios mais emblemáticas, mas também por alguns menos turísticos.

Em todos os desenhos há uma bicicleta vermelha, uma personagem que unifica as ilustrações e que dá o movimento para as paisagens desenhadas, e ainda a sardinha, "um símbolo muito próximo da cultura lisboeta", disse.

"A Lisboa que aparece neste livro é uma mistura de realidade e fantasia. Não queria ficar-me apenas pelo que vi, mas também incluir aquilo que me inspirou. Por isso, me permiti a desenhar coisas que não existem", como uma pala demasiado ondulante no Pavilhão de Portugal, um elétrico a espreitar nos jardins da Gulbenkian, um estendal de roupa no topo da Sé de Lisboa.

(Lemos aqui)





quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Vejam só! Último fim de semana de novembro na Nazaré



Na Nazaré há uma coisa que nunca falha: as ondas

As ondas gigantes estão de volta às praias da Nazaré. Durante o fim-de-semana, a Praia do Norte foi "abençoada" com massas de água generosas e os surfistas não faltaram ao chamamento.


(Uma notícia do Público, 1-12-2014. Há lá mais dez ótimas fotografias)


Aqui podem ver o surfista hawaiano Kealii Mamala fotografado por Rafael Marchante (Reuters)







Uma estrela viva!







(Brandel Zachernuk)





terça-feira, 2 de dezembro de 2014

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Portugal e os azulejos



O azulejo é uma das expressões mais características da cultura portuguesa. Além disso, é uma boa maneira de conhecer este país e a sua história. Parece ser que Portugal é o país do mundo onde há mais azulejos!





A tirar a cortiça do sobreiro no Alentejo
(Fotografia: ©Gabriela Tavares)







Medo... (Tiago Lacerda)



Sob o mote medo, o brasileiro Tiago Lacerda fez este desenho. E esse bichinho que aí vemos é uma barata.