Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Um diálogo na livraria


Não é a primera vez que a Livreira Anarquista vem fazer-nos uma visita.


FREGUESA: Queria um livro para uma rapariga de 26 anos que é decoradora de infância… 

LIVREIRA ANARQUISTA (reticente): …..decoradora de infância?!

FREGUESA: Sim, decoradora de infância…ela fez mesmo o curso e tudo! (Momento de alguma turbulência…estabilização suave da máquina….humm…já sei! A rapariga deve decorar quartos para crianças, sim, parece-me plausível! E como é giro inventar novas categorias profissionais, o epíteto não seria de espantar)

LIVREIRA ANARQUISTA (toda contente por aquilo parecer estar a solucionar-se naturalmente): Por acaso recebemos um livro, há pouco tempo, que é especificamente sobre decoração de quartos para crianças, penso que será perfeito!

FREGUESA (a olhar-me como se eu fosse demente): O quê? Decoração de quartos?! Isso não lhe serve de nada! (risos) Dê-me mas é um de histórias tradicionais ou de actividades com coisas de plástico, para ela fazer com os miúdos no infantário! …”decoração de quartos”! (mais risos)


Adenda: Caso não tenha percebido, no universo desta freguesa, Decoradora de Infância substitui a nossa usual Educadora de Infância. Paralelismo encontrado na cultura popular: Amiga 1: Oh, que filha tão linda que tens, como se chama? Amiga 2: Chama-se Sonasol….e a tua também é muito linda, como se chama? Amiga 1: A minha chama-se Maria. Amiga 2: MARIA?!?! AHAHAHA! Isso é nome de bolacha!