Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Barbatanas, pois



Eis uma palavra que chamou a atenção da maioria dos alunos do 4º ano: barbatanas. A Raquel conhecia ou adivinhou, pelo contexto. Estávamos a falar de férias.

Obrigado à Infopédia:

barbatana
1. ZOOLOGIA órgão formado por uma membrana e pelo esqueleto ósseo ou cartilaginoso que a sustém, com uma função propulsora e estabilizadora na locomoção dos peixes e cetáceos

2. peça de calçado de borracha, larga e espalmada, usada pelos nadadores para se deslocarem com maior velocidade dentro de água





Uma casa encostada numa árvore



É pena, mas não posso dizer-vos o nome do autor deste desenho...




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Frieza (Florbela Espanca)



A voz da poetisa portuguesa Florbela Espanca. Reparem na linguagem. Há paixão ou não há?


Frieza

Os teus olhos são frios como espadas,
E claros como os trágicos punhais;
Têm brilhos cortantes de metais
E fulgores de lâminas geladas.

Vejo neles imagens retratadas
De abandonos cruéis e desleais,
Fantásticos desejos irreais,
E todo o oiro e o sol das madrugadas!

Mas não te invejo, Amor, essa indiferença,
Que viver neste mundo sem amar
É pior que ser cego de nascença!

Tu invejas a dor que vive em mim!
E quanta vez dirás a soluçar:
"Ah!Quem me dera, Irmã, amar assim!"

Florbela Espanca



Florbela Espanca (Vila Viçosa, 8 de Dezembro de 1894 - Matosinhos, 8 de Dezembro de 1930) , batizada como Flor Bela Lobo, e que opta por se autonomear Florbela d'Alma da Conceição Espanca, foi uma poetisa portuguesa. A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, feminilidade e panteísmo.






sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

O balão: Metáfora sobre os relacionamentos (Hélene Leroux)




Vê-se logo o significado desses balões... Uma bonita história, que fica aqui como despedida até ao próximo dia.

Bom fim de semana prolongado para todos


"FLOATING IN MY MIND - animação da francesa Hélene Leroux foi o seu projeto de conclusão do curso da Gobelins School em Paris. O filme busca mostrar metaforicamente através de balões, a forma que vamos acumulando os relacionamentos durante nossas vidas.O estilo de desenho da francesa nessa animação é tipo aquarela, bem animado, com uma estética simples e minimalista."



Onde será que eu posso comprar roupa? Numa tenda ou numa loja?

Onde é que vocês comprariam uma camisola ou umas calças? Na tenda cá em cima ou na loja cá em baixo? Há alunos que falam das "tendas" do centro comercial El Faro, na nossa cidade; ou compram coisas nas "tendas" quando estão em férias...







quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Mais uma t-shirt



Porque será, meninos e meninas? Uma mãe é muito, muito importante, não é?

E também no sentido figurado, como podemos ver cá em baixo. É o Filipe, o amigo da Mafalda, que desenhou Quino.






Uma t-shirt com um paradoxo



Se quiserem mais paradoxos, podem procurar no blogue. 

(Definição da Infopédia: "1. afirmação contraditória que desafia a lógica e o senso comum)



Revisão das refeições para alunos do 3º e 4º anos

Podemos rever também o vocabulário dos alimentos cá em cima

As refeições em português:
  • o pequeno-almoço
  • o almoço
  • o lanche
  • o jantar

E os verbos, quais é que são?
  • tomar o pequeno-almoço
  • almoçar
  • lanchar
  • jantar

E assim, poderemos dizer, por exemplo:

Eu tomo o pequeno-almoço às oito horas (da manhã).

Eu almoço às duas horas e meia.

Eu lancho às seis horas (da tarde).

Eu janto às nove horas.




Ah, reparem nas horas dos relógios!

Os horários são diferentes dos nossos, não são?



terça-feira, 29 de novembro de 2016

Que horas são? A que horas?


Já foi publicado aqui no outro blogue, mais breve, uma mensagem: "Que horas são?"





Mas o que tem este aluno no braço???

 Um coelho


O que tem a ver este animalzinho com um braço? Eu cá não sei, mas pelos vistos um aluno do 3º ano (não digo a turma) escreveu coelho em vez de cotovelo, nome da articulação que todos temos no braço.

Espero que ele não se esqueça a  partir de agora desta palavra