Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Maria João Pires



Maria João Pires (1944) é uma das figuras mais marcantes da cultura portuguesa.

Muito cedo aprendeu a tocar piano: aos cinco anos deu o seu primeiro recital e aos sete tocou publicamente concertos de Mozart. Com nove anos recebeu o prémio da Juventude Musical Portuguesa. Entre 1953 e 1960 estuda no Conservatório de Lisboa. Prossegue os estudos musicais na Alemanha, em Munique e em Hannover.

Maria João Pires torna-se reconhecida internacionalmente ao vencer o concurso internacional do bicentenário de Beethoven em 1970, que se realizou em Bruxelas.

Fez na sua carreira numerosas digressões onde interpretou obras de Bach, Beethoven, Schumann, Schubert, Mozart, Brahms, Chopin e muitos outros compositores dos períodos clássico e romântico. Maria João Pires é convidada com regularidade pelas grandes orquestras mundiais para tocar nas melhores salas de concerto, apresentando-se regularmente na Europa, Canadá, Japão, Israel e nos Estados Unidos.

Tem desenvolvido actividade tanto a nível individual (recitais, concertos, gravações) como em música de câmara: dos numerosos êxitos discográficos, destacam-se as gravações "Moonlight", com Sonatas de Beethoven; "Le Voyage Magnifique", integral dos Impromptus de Schubert; "Nocturnos" e outras obras de Chopin; as Sonatas para piano de Mozart e os Trios de Mozart com Augustin Dumay (violino) e Jian Wang (violoncelo).

É a fundadora e dirigente do Centro de Belgais para o Estudo das Artes, no concelho de Castelo Branco, de cariz pedagógico, cultural e social, trabalho pelo qual recebeu o Prémio Unesco para a Defesa dos Direitos Humanos. Foi distinguida com o Prémio Pessoa em 1989.

(Extraído da Wikipedia e adaptado)

Em 2009 a pianista,renunciou à nacionalidade portuguesa. Porquê? Decepcionada com o modo como tem sido tratada a nível governamental, sobretudo no seu projecto de ensino artístico de Belgais (Castelo Branco), Maria João Pires, que tinha dupla nacionalidade, decidiu ficar apenas com a brasileira.