Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Águas de março (Tom Jobim e Elis Regina)



O verão no hemisfério sul termina a 22 de março, aproximadamente, quando começa a nossa primavera, cá no hemisfério norte. Esta é uma canção brasileira, e daí esse verso: "São as águas de março fechando o verão".

Canta o compositor da canção, um dos maiores, o maior compositor da música popular brasileira, Antônio Carlos Jobim, e uma das maiores cantoras desse país, Elis Regina. É uma delícia como eles cantam. Ouvimos esta canção no dia em que março termina. Amanhã começa abril.


ÁGUAS DE MARÇO

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol

É peroba do campo, é o nó da madeira
Caingá, candeia, é o Matita Pereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira

É o vento ventando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira

É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira
É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão

É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto o desgosto, é um pouco sozinho
É um estrepe, é um prego, é uma ponta, é um ponto
É um pingo pingando, é uma conta, é um conto

É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manhã, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada

É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato, na luz da manhã

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé

São as águas de março fechando o verão,
É a promessa de vida no teu coração

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
pau, pedra, fim, caminho
resto, toco, pouco, sozinho
caco, vidro, vida, sol, noite, morte, laço, anzol

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração.


"Falamos Português" em Canal Extremadura - 29 de março de 2014


Programa Falamos Português do dia 29 de março no Canal Extremadura.

Neste programa aprendemos o uso do condicional e do imperfeito, assim como a voz ativa e passiva.










sexta-feira, 28 de março de 2014

"Falamos Português" em Canal Extremadura - 22 de março de 2014



Programa Falamos Português do dia 22 de março no Canal Extremadura.

Nesta semana temos revisão do vocabulário de compras e lojas. Mais a apresentação dos pronomes indefinidos e os pronomes complemento.









Diálogo rapariga-rapaz




rapariga: Olá
rapaz: O que é que te aconteceu ?
rapariga: Mudei
rapaz: Porquê?
rapariga: Porque já não quero ser aquilo que era antes .
rapaz: Mas eu gostava como tu eras antes!
rapariga: Gostavas de que em mim ?
rapaz: Do teu amor...







segunda-feira, 24 de março de 2014

Duas plantas do centro de Évora






INTER[IN]VENÇÃO na Fundação Eugénio de Almeida, em Évora

Fotografia e texto retirados da página da Fundação Eugénio de Almeida


Exposição que vamos visitar na nossa viagem cultural a Évora.


INTER[IN]VENÇÃO
Até 13 abril de 2014

Exposição de obras da coleção do mais importante centro de arte e tecnologia do mundo, o ZKM | Zentrum für Kunst und Medientechnologie Karlsruhe [ZKM | Center of Art and Media Karlsruhe], Alemanha.


O Fórum Eugénio de Almeida apresenta, pela primeira vez na Península Ibérica, uma ampla seleção de obras da coleção do conceituado ZKM | Center of Art and Media Karlsruhe, Alemanha, o mais importante centro de arte e tecnologia do mundo.

Inter[in]venção traz a Évora algumas das obras mais significativas de um dos pioneiros da media art, Nam June Paik, e reúne 33 peças de 39 artistas de renome internacional, tais como Bruce Naumann, Marina Abramovic, Bill Viola, Christa Sommerer & Laurent Mignonneau, Paul Sermon, Tony Oursler, Peter Weibel, Masaki Fujihata, Valie Export, Pipilotti Rist, Paul Garrin, Robert Wilson, entre outros.

O espetro de formatos das obras expostas abarca a videoescultura, videoarte, videoperformance, videoinstalação, instalação audiovisual, instalação interativa e instalação sonora interativa.

(...)








O chafariz da Praça do Giraldo


Um chafariz é uma fonte com várias bicas em que a água cai num tanque. Na Praça do Giraldo de Évora temos um belo exemplo de chafariz.


Com a sua localização privilegiada no contexto urbano da cidade, diante da Igreja de Santo Antão e na mesma praça onde se realizava, pelo menos entre os séculos XV e XIX, um mercado diário, uma Feira Anual e as corridas de touros da cidade, o Chafariz da Praça do Giraldo constituiu ao longo dos séculos uma das mais importantes estruturas de abastecimento de água à população. Para além do seu carácter utilitário, a evidente monumentalidade do chafariz fez com que este se instituísse mesmo como um símbolo de Évora ao longo dos tempos, e sobretudo como marca da renovação urbanística planeada e levada a cabo pelo Cardeal Infante D. Henrique. (igespar)


O chafariz num postal dos anos 60 (?)



Legenda do desenho: A fonte em 1848, segundo Luís Coelho, que se baseou num desenho publicado na Revista Popular, de um autor anónimo. Reprodução das oficinas da Imprensa Nacional. (Câmara Municipal de Évora)


A Igreja de São Francisco em Évora

 
A Igreja de São Francisco em Évora é uma igreja de arquitetura gótico-manuelina. Construída entre 1480 e 1510, está intimamente ligada aos acontecimentos históricos que marcaram o período de expansão marítima de Portugal. Isso fica patente nos símbolos da monumental nave de abóbada ogival: a cruz da Ordem de Cristo e os emblemas dos reis fundadores, D. João II e D. Manuel I.

A Capela dos Ossos é uma das curiosidades deste grande monumento. Mas prefiro não publicar nenhuma fotografia. Vemo-la ao vivo...












A Universidade de Évora

Pátio da Universidade de Évora


A Universidade de Évora foi fundada em 1 de Novembro de 1559 pelo Cardeal D. Henrique, Arcebispo de Évora, mais tarde Rei de Portugal, a partir do Colégio do Espírito Santo. Foi instituída por bula do Papa Paulo IV, como Universidade do Espírito Santo e entregue à Companhia de Jesus, que a dirigiu durante dois séculos. Em 1759 foi encerrada por ordem do Marquês do Pombal, aquando da expulsão dos Jesuítas.

Voltou a ser reaberta em 1973 (...) Em 1979, o Instituto Universitário de Évora dá lugar à nova Universidade de Évora.

O lema da Universidade é "Honesto estudo com longa experiência misturado"


Página oficial da Universidade de Évora.



Uma das salas de aula da Universidade,
conservando a cátedra e azulejos dos jesuítas 



Mais uma vista do belo claustro da Universidade:





Experiência dos Hemisférios de Magdeburgo – Azulejos Barrocos Joaninos (1744-1749) da Aula de Física da Universidade do Espírito Santo (hoje sala 120 da Universidade de Évora)


Sala dos Actos




O Centro Histórico de Évora



O Centro Histórico de Évora é um espaço urbano intra-muros, classificado como Património Mundial da UNESCO, localizado na cidade de Évora.

A cidade-museu de Évora tem raízes que remontam ao tempo do Império Romano. A cidade ainda conserva, em grande parte no seu núcleo central, vestígios de diversas civilizações e culturas: Celtas, Romanos, Árabes, Judeus e Cristãos influenciaram a cultura eborense. Atingiu a sua época dourada no século XV, quando se tornou residência dos reis de Portugal. A qualidade arquitectónica e artística do casario branco ou decorado com azulejos e varandas de ferro forjado, datadas dos séculos XVI a XVIII, é única. Os monumentos da cidade tiveram também profunda influência na arquitectura portuguesa no Brasil.

O Centro Histórico de Évora, formado por ruas estreitas e travessas, pátios e largos, tem uma área de 107 hectares e é claramente demarcado pelas muralhas medievais, com extensão de mais de 3 km.

No lado sul da antiga Cerca encontra-se a Praça do Giraldo, da qual divergem as vias principais em estrutura radial.


Monumentos essenciais da cidade
  • Templo Romano (vulgarmente conhecido como Templo de Diana)
  • Sé Catedral
  • Igreja de São Francisco
  • Capela dos Ossos
  • Palácio de D. Manuel
  • Igreja dos Lóios

(Fonte: Wikipédia)



A Sé Catedral de Évora



Visita cultural a Évora


Mais dados sobre a cidade de Évora, que vamos visitar depois de amanhã, dia 26.


Évora é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Évora, e da região do Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com uma população de 49 252 habitantes (2011). Évora é a única cidade portuguesa membro da Rede de cidades europeias mais antigas.

É sede de um dos maiores municípios de Portugal, com 1307,08 km² de área e 56 596 habitantes (2011), subdividido em 12 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Arraiolos, a nordeste por Estremoz, a leste pelo Redondo, a sueste por Reguengos de Monsaraz, a sul por Portel, a sudoeste por Viana do Alentejo e a oeste por Montemor-o-Novo. É sede de distrito e de antiga diocese, sendo metrópole eclesiástica (Arquidiocese de Évora).

O seu centro histórico bem-preservado é um dos mais ricos em monumentos de Portugal, o que lhe vale o epíteto de Cidade-Museu. Em 1986, o centro histórico da cidade foi declarado Património Mundial pela UNESCO.

A cidade de Évora é o centro económico e administrativo da região Alentejo, que ocupa mais de 1/3 do país. A economia eborense baseia-se principalmente no sector dos Serviços, com grande peso da Universidade de Évora e dos serviços descentralizados do Governo Central. A Indústria está também bastante presente na economia da cidade, principalmente no sector dos componentes eletrónicos e eletromecânicos e da construção.

O turismo é uma importante fonte de receitas no concelho. Um milhão de turistas visita a cidade Património Mundial e o número cresce todos os anos.

 (Texto e fotografias da Wikipédia)


O Distrito de Évora



A Praça do Giraldo, coração da cidade


Muralhas de Évora


Évora e a paisagem circundante


sexta-feira, 21 de março de 2014

Ouviram falar de Ayrton Senna?

Google dedica o seu doodle de hoje a Ayrton Senna, que faria 54 anos neste dia


Ayrton Senna (1960-1994) foi um piloto brasileiro de Fórmula 1. Conquistou três vezes o campeonato mundial correndo pela McLaren. Em 10 anos de Fórmula 1, disputou 116 corridas, conquistou 65 pole positions e venceu 41 competições. Venceu seis vezes o GP de Mônaco. Era chamado "O Rei de Mônaco".

Senna morre em Ímola, Itália, no dia 1 de maio de 1994, durante o Grande Prêmio de San Marino, quando seu carro sai da pista, na curva Tamburello e bate no muro de proteção.

Biografia completa aqui.







Ágata (Inês Dias)



Hoje é o Dia Mundial da Poesia, e nós acompanhamos com estes versos. Ontem tivemos mais poesia, a de João Guimarães Rosa.Uma dupla celebração!


ÁGATA 

Foi amor à primeira vista.
Ela tinha nome de pedra preciosa
e, na literalidade dos meus cinco anos,
cabelo em forma de pássaro – negro
asa de corvo.

Era o tempo em que ainda
aprendia com o corpo todo:
uma fractura exposta para entender
o significado de maioria, uma pneumonia
para descobrir a solidão.
Quando ela me cravou um lápis
sob o olho esquerdo, pressenti que a escrita,
grafite fria à flor do sangue,
deixaria marcas para sempre.

Nunca mais nos separámos.
Eu e as palavras,
a Ágata mudou de escola.

Inês Dias


Um raio ardente e paredes frias, Averno, Lisboa, 2013.




quinta-feira, 20 de março de 2014

Aquilo que eu não fui (Tiago Bettencourt)



Uma canção com montes de Perfeitos simples para vocês praticarem este tempo. Canta Tiago Bettencourt.


AQUILO QUE EU NÃO FUI

Eu não quero pagar por aquilo que eu não fiz
Não me fazem ver que a luta é pelo meu país
Eu não quero pagar depois de tudo o que dei
Não me fazem ver que fui eu que errei

Não fui eu que gastei
Mais do que era para mim
Não fui eu que tirei
Não fui eu que comi

Não fui eu que comprei
Não fui eu que escondi
Quando estavam a olhar
Não fui eu que fugi

Não é essa a razão
Para me querem moldar
Porque eu não me escolhi
Para a fila do pão
Este barco afundou
Houve alguém que o cegou
Não fui eu que não vi

Eu não quero pagar por aquilo que eu não fiz
Não me fazem ver que a luta é pelo meu país
Eu não quero pagar depois de tudo o que dei
Não me fazem ver que fui eu que errei

Talvez do que não sei
Talvez do que não vi
Foi de mão para mão
Mas não passou por mim
E perdeu-se a razão
Todo o bom se feriu
foi mesquinha a canção
Desse amor a fingir
Não me falem do fim
Se o caminho é mentir
Se quiseram entrar
Não souberam sair
Não fui eu quem falhou
Não fui eu quem cegou
Já não sabem sair

Meu sonho é de armas e mar
Minha força é navegar
Meu Norte em contraluz


"Todo caminho da gente é resvaloso" (João Guimarães Rosa)

Fotografia de Paco CT


Será verdade que os alunos da turma de 4º A gostam de poesia como me diz a minha colega de Língua Castelhana? Amanhã é o Dia Mundial da Poesia, e é para eles é que vão dedicados estes versos de João Guimarães Rosa.

Reparem nas palavras dele: seremos capazes de fazer assim como ele diz?

E amanhã, mais poesia! Como não temos aula até segunda, lemos nesse dia.



Todo caminho da gente é resvaloso.
Mas também, cair não prejudica demais.
A gente levanta, a gente sobe, a gente volta!...
O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim:
Esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa,
Sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem.
Ser capaz de ficar alegre e mais alegre no meio da alegria,
E ainda mais alegre no meio da tristeza...

João Guimarães Rosa 



quarta-feira, 19 de março de 2014

Uma ementa vegetariana de um restaurante português

Uma salada grega


Eis a ementa vegetariana do Restaurante Cabana dos Parodiantes, em Salvaterra de Magos. As fotografias foram tiradas da internet.


EMENTA VEGETARIANA DA CABANA

DIÁRIAMENTE EXISTE SEMPRE UM PRATO VEGETARIANO

- Salada normal (alface, tomate, cebola, orégãos, azeite e vinagre) – 1.25 €

- Saladões / custo de cada salada – 5.50 €

Saladão Grego (pepino, tomate, queijo tipo feta, azeitonas pretas, folhas manjericão)
Saladão Estival (espargos, ananás, alface, milho doce, rebentos soja, )
Saladão Mediterrânico (tomate, alface, cebola, cornichon, azeitonas, beterraba, sultanas)

Todas os Saladões são regados com um vinagrete específico
- Pratos Vegetarianos confeccionados / custo de cada prato – 5.50 €

Alho Françês à Brás (alho francês, batata palha, ovos, cebola)
Gratinado de corgetes (curgete, leite, maizena, queijo ralado, batata)
Bolinhas de tofu c/ espinafres (tofu, espinafres, cenoura, grão, cominhos, farinha de milho)
Feijoada de Castanhas (castanhas, cogumelos, cenoura, feijão manteiga, alecrim)
Peixinhos da Horta c/ Arroz de Feijão (feijão verde, farinha de milho, salsa, ovos)
Lasanha de Legumes (espinafres, cenoura, tomilho, orégãos, queijo)
Caril de Castanhas (arroz Basmati, caril, castanhas, bróculos, leite de côco)
Tofu panado c/ Esparregado (tofu, espinafres, ovos, coentros, alecrim, farinha de milho)
Seitan assado no forno (seitan, batatas assadas, repolho, arroz Basmati)


Tofu panado


Cogumelos



Quem jogava futebol com uma bola destas?



Alguém se anima a tentar?



terça-feira, 18 de março de 2014

Delitos dos ricos, direitos dos pobres



Se alguém não sabe o que significa prescrever, eis a definição do Dicionário de Língua Portuguesa da Infopédia:

verbo intransitivo

1. cair em desuso

2. ficar sem efeito por ter decorrido o prazo legal

3. ficar reprovado o número máximo de vezes previsto por lei, não podendo prosseguir os estudos naquele curso

(Do latim praescribĕre, «escrever na frente»)


segunda-feira, 17 de março de 2014

A Praça do Giraldo em vista de pássaro


Bela vista da Praça do Giraldo de Évora. Na próxima semana estaremos aí. Sobre este lugar, lemos num Guia das Maravilhas do Portugal o seguinte:

"Lugar emblemático de Évora, a Praça do Giraldo serviu na época romana de fórum exterior. A partir do século XIII, ganhou aspecto semelhante ao actual e tornou-se a principal praça da cidade. Apesar de alguns edifícios antigos terem sido destruídos ao longo dos séculos, mantém alguma característica medieval, sendo o coração de Évora."


Donde é que o autor, Luís Pardal, tirou a fotografia? Pode-se ver aqui.




Porque não abre a cantina nesse dia de outubro?



Cliquem no link em baixo. Podem ver as refeições vegetarianas servidas numa das cantinas da Universidade do Minho no mês de outubro de 2007.

Deem uma vista de olhos, reparem na variedade, mas reparem também que um dia não há almoço nem jantar na cantina. Porquê?

Pensem um bocado. Vamos lá ver cessa memória. Já temos visto mais do que uma vez nestes anos. A pesquisa, de todas as maneiras, é fácil.

A resposta, nos Comentários. Não se esqueçam de se identificar.








sábado, 15 de março de 2014

"Falamos português" - Programas dos dias 8 e 15 de março


Mais dois programas de Falamos Português, do Canal Extremadura.

Dia 8 de março. Conteúdos: Pretérito perfeito simples e composto do indicativo, o participio passado e os advérbios.

Dia 15 de março: . Conteúdos: diferenças no uso do Pretérito perfeito simples e composto do indicativo. Vocabulário académico.




quinta-feira, 13 de março de 2014

"Sonho parece verdade quando..."



a gente

[Informal] Locução que corresponde semanticamente ao pronome pessoal nós, mas gramaticalmente a uma terceira pessoa do singular (ex.: a gente vai chegar atrasada), e designa o grupo em que se integra quem fala ou escreve.= A MALTA

(Dicionário Priberam)





Um amanhã melhor



Amanhã, pois, com esse belo ã