Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Outra vez a saudade

Palavras de Adriana Falcão


A saudade é um conceito básico para entender a cultura em língua portuguesa. Já tinha aparecido uma mensagem no blogue, e voltamos à carga (reparem na expressão idiomática) com mais uma. Custa a compreender o que é a saudade?

Leiamos outra definição de um dicionário:

"lembrança triste e suave de pessoas ou coisas distantes ou extintas, acompanhada do desejo de as tornar a ver ou a possuir; pesar pela ausência de alguém que nos é querido; nostalgia".

Com ter saudades (de alguém ou de alguma coisa) podemos traduzir a expressão espanhola "echar de menos (a alguien o  algo)": Tenho saudades dos meus amigos.

E agora, algumas frases encontradas pesquisando na rede. Dei com uma página brasileira com montes de frases, e é por isso que os autores são brasileiros.

De Mário Quintana:
O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...

De Clarice Lispector:
Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida. Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar essa pessoa de nossos sonhos e abraçá-la.


De Carlos Drummond de Andrade:
Sentimos saudade de certos momentos da nossa vida e de certos momentos de pessoas que passaram por ela.

Também temos saudade do que não existiu, e dói bastante.

De Hilda Richter:
Ter saudade é estar na presença de tua ausência.


O que acham das palavras do poeta Carlos Drummond de Andrade, "Também temos saudade do que não existiu, e dói bastante"? Compreendem? Podem imaginar nem que seja um bocado?