Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Aquarela do Brasil (Gal Costa)


Meus caros alunos, esta canção foi composta em 1939 por Ary Barroso. Imaginam? Mas as coisas boas permanecem, e mesmo agora, no século XXI, tantos anos depois, podem desfrutar dela, às portas do Carnaval. Reparem nesta maravilha!

Quem eram as alunas carnavaleiras do 4º ano? Um passo em frente, meninas!!!

AQUARELA DO BRASIL

Brasil, meu Brasil brasileiro
Meu mulato inzoneiro, vou cantar-te nos meus versos
O Brasil, samba que dá, bamboleio que faz gingar
O Brasil do meu amor, terra de Nosso Senhor

Brasil, pra mim, pra mim, pra mim

Abre a cortina do passado
Tira a mãe preta do cerrado
Bota o rei Congo no congado
Deixa cantar de novo o trovador
A merencória luz da lua
Toda a canção do meu amor
Quero ver essa dona caminhando
Pelos salões, arrastando o seu vestido rendado

Brasil, pra mim, par mim, pra mim

Brasil, terra boa e gostosa
Da morena senhora de olhar indiferente
O Brasil, samba que dá, bamboleio que faz gingar
O Brasil do meu amor, terra de Nosso Senhor

Brasil, pra mim, pra mim, pra mim

Ô, esse coqueiro que dá coco
Onde amarro a minha rede nas noites claras de luar
Ah, ouve essas fontes murmurantes
Onde eu mato a minha sede
E onde a lua vem brincar
Ah, esse Brasil lindo e trigueiro
É o meu Brasil brasileiro
Terra de samba e pandeiro

Brasil, pra mim, pra mim, Brasil


Cores brasileiras (Fotografia de Ilan Ejzykowicz)