Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

terça-feira, 15 de maio de 2012

2º dia da visita dos albicastrenses

 Parte dos alunos no Salón de Plenos da Câmara Municipal de Badajoz


O programa de atividades de hoje começou com uma aula na escola. Depois, havia uma receção dos alunos portugueses na Câmara Municipal às 10:30. O Presidente, Dr. Celdrán, deu-lhes as boas-vindas no salão onde se celebram os plenários e disse umas palavras acerca da vizinhança, não só geográfica, mas também humana entre a cidade de Badajoz e Portugal e os portugueses. Todos, alunos e professores receberam um completo e bonito presente da Câmara.

 O Presidente da Câmara a falar aos alunos albicastrenses

A seguir, visitamos a igreja da Conceição (Concepción), muito próxima. Admiraram todos a beleza da cúpula, e gostaram especialmente de uma coisa que gostariam de ver muitos moradores de Badajoz: as freiras permitiram que alunos e professores subissem até ao terraço que rodeia a cúpula e pudessem admirar as esplêndidas vistas daquelas alturas: a zona antiga da cidade, a Giraldilla, a Sé, a Ponte Real... e terra portuguesa ao fundo, Elvas!



 A Calle de San Juan vista da cúpula da Conceição


Ainda na cúpula. Lá ao fundo, terra portuguesa: Elvas

O simpático Francisco


Uma outra cúpula que nos permitiam ver


Uma vez acabada a visita à igreja, dirigimo-nos todos para o Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo, MEIAC, onde os alunos portugueses souberam o que este museu foi antigamente, uma cadeia, que ficava na periferia de Badajoz, e comprovaram a grande mudança que a transformou. Teresa León, do Gabinete Didáctico do MEIAC, ofereceu uma visita guiada que fez mais interessante o fim do programa desta terça-feira. Entre os artistas extremenhos que os alunos puderam admirar estão Godofredo Ortega Muñoz, Timoteo Pérez Rubio ou Eduardo Naranjo.



 Perante o retrato que pintou Timoteo Pérez Rubio da sua mulher, a escritora Rosa Chacel




Perante algumas das famosas fotografias tiradas em Deleitosa por William E. Smith em 1952