Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Nelson Évora, campeão europeu de pista coberta no triplo salto

Nelson Évora no ar. Ao fundo a Praça do Comércio (Fot. Luís Barra)


Podemos tirar uma lição do atleta Nelson Évora. Leiam e reparem: nunca se deu por vencido. Isso é muito importante na vida. E não é fácil.


Nélson Évora: "Só não desisti porque amo mesmo o que faço"

Para voltar a ganhar uma medalha de ouro numa grande competição internacional (campeão europeu de triplo salto), teve de suportar seis cirurgias em quatro anos. A história de um calvário em discurso direto

Rui Tavares Guedes (entrevista publicada na VISÃO 1149, de 12 de março)

O anúncio do seu declínio foi manifestamente exagerado. Durante quatro anos, Nelson Évora quase trocou as pistas de atletismo pelas salas de cirurgia dos hospitais e os treinos por longas sessões de fisioterapia. E, nos intervalos das lesões, sempre que surgia em prova, nunca conseguia atingir um nível minimamente semelhante ao evidenciado em 2007 e 2008, quando se sagrou campeão mundial e olímpico. Sem somar títulos nem medalhas, foi visto como acabado, perdeu patrocínios relevantes e, confessa, chegou mesmo a questionar-se sobre se valeria a pena continuar a tentar regressar à alta competição internacional. As dúvidas desfizeram-se, completamente, no sábado, 8, quando se sagrou, em Praga, campeão europeu de pista coberta. Mas a história do que ele penou para ali voar ainda não tinha sido contada.

Podem ler a entrevista no link: Revista Visão


* * * * * * *

(Fotografia: David W. Cerny / Reuters)


Nelson Évora arrecadou em Praga a medalha de ouro que lhe faltava

Luís Lopes

07/03/2015 - 18:54 - Diário Público

Triplista português sagrou-se campeão europeu de pista coberta com a melhor marca europeia do ano

Após um longo e aparentemente interminável calvário de lesões, operações e períodos de recuperação, Nelson Évora emergiu de novo à tona de água, vivo e de boa saúde, para se sagrar campeão europeu de pista coberta no triplo salto, no Campeonato da Europa de pista coberta, que no domingo termina em Praga, na República Checa. O campeão mundial de 2007 e olímpico do ano seguinte cumpriu a promessa deixada nos recentes campeonatos nacionais de clubes, em Pombal, quando regressou à casa dos 17m na sua disciplina, ao atingir 17,19 m e passar a ser o melhor europeu do ano.