Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

"Grândola, vila moderna" (±MaisMenos±)



Vamos recordar a letra da canção Grândola, vila morena, cantada pela voz de José Afonso, ligada para sempre ao 25 de Abril de 1974, e que foi o sinal para o início de una nova época em Portugal: a ditadura estava para acabar de vez.  Era tempo de democracia. A Espanha demororou mais um pouco a dar este passo.

Lemos a letra, ouvimos a canção original e depois comparamos com a letra do vídeo de ±MaisMenos±:, Grândola, vila moderna.


GRÂNDOLA, VILA MORENA

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade

Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade


Canta Zeca Afonso


The artist ±MaisMenos± has launched his new video for the April revolution, giving a twist to the lyrics of the known “Grândola vila morena” song by Zeca Afonso.