Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Chega de saudade (Caetano Veloso)




CHEGA DE SAUDADE

Vai minha tristeza
e diz a ela que
sem ela não pode ser

Diz-lhe numa prece
que ela regresse,
porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade,
a realidade é que
sem ela não há paz
não há beleza
é só tristeza e a melancolia
que não sai de mim,
não sai de mim,
não sai

Mas se ela voltar, se ela voltar,
que coisa linda, que coisa louca
pois há menos peixinhos a nadar no mar,
do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços os abraços hão
de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é prá acabar com esse negócio
de viver longe de mim
Não quero mais esse negócio de você viver assim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim


Eu prefiro esta versão, que já tem uns anitos: João Gilberto mais a filha, Bebel. Apenas violão e voz.