Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Quem tem medo do lobo mau? (Emília Ferreira)

Lobo ibérico (Canis lupus signatus), Wikipédia
Fotografia: Moimenta Na Net


QUEM TEM MEDO DO LOBO MAU?

Era uma vez um animal que não comia pessoas. Que só atacava o gado quando as suas presas naturais lhe eram retiradas. Um animal que cresceu connosco, que acompanhou a nossa história. Um animal que tem uma organização social semelhante à nossa. Um animal real. Mas a imagem que desse animal prevalece não é a verdadeira; é a ficcionada. E à custa do preconceito, vamos acabando com essa história comum. Assim, despudoradamente. Ignaramente. Barbaramente.

"Abatido a tiro mais um lobo-ibérico seguido com colar GPS" é um título que salta à vista e magoa.

Era uma fêmea, que estava a ser monitorizada. Mas que não estivesse. Era um animal selvagem, de uma espécie protegida. Que foi cobardemente abatido a tiro e deixado à mercê de uma matilha que a abocanhou.

Quando é que perceberemos que os lobos têm de ser protegidos por todos nós? Quando é que perceberemos que a vida selvagem é uma parte importante da nossa sobrevivência como espécie, que está tudo ligado e que nós temos tanto direito a viver no planeta como estes animais? Continua em curso também um esforço enorme de recuperação do lince ibérico. Há notícias animadoras de crias nascidas em cativeiro. Há notícias esperançosas de reintrodução de alguns espécimes na natureza. Para quê? Para serem barbaramente assassinados por imbecis que gostam de fazer pontaria a tudo o que mexa, independentemente do alvo?

Centros de protecção do lobo ibérico, centros de protecção do lince ibérico. E de tantas outras espécies ameaçadas. Devia-se talvez pensar numa grande campanha nas escolas, para sensibilização da população jovem, a ver se percebem que a biodiversidade e a sustentabilidade dependem de nós e que nós dependemos também dela. Isto, se a beleza não bastar. Isto, se o medo continuar a ser maior do que o fascínio. Quem tem medo do lobo mau?

Eu, pela minha parte, só tenho mesmo pena que os lobos não decidam organizar-se em alcateias formidáveis para dar conta de alguns predadores bípedes, que para aí andam, a dar cabo da beleza do mundo. Ficava tudo muito mais tranquilo. E sustentável.

Emília Ferreira no seu blogue O meu hipericão


Lince ibérico (Lyns pardinus) - Wikipédia