Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Um brasileiro domina 11 idiomas

 

Esta noticia é do ano 2012, mas tanto faz, não acham?


Brasileiro que domina 11 idiomas dá dicas para aprender outras línguas

Rafael Lanzetti fala sueco, hebraico, alemão, grego e romeno, entre outros. 'Não existe segredo, é treino, repetição, disciplina e dedicação', ensina.

Um professor brasileiro radicado na Alemanha tem a mesma habilidade do estudante britânico Alex Rawlings, de 20 anos, que virou notícia no G1: o domínio de 11 idiomas. Rafael Lanzetti, de 32 anos, impressiona ao falar 11 línguas: além do português, ele fala inglês, alemão, holandês, francês, italiano, espanhol, sueco, grego, hebraico e romeno.

“O interesse por línguas vem de minha curiosidade em conhecer outras culturas, mas principalmente da oportunidade que tive, na faculdade, de aprender gratuitamente. Tenho a sorte de estar num ambiente multicultural e posso praticar todas as línguas que estudo”, explica Lanzetti, que trabalha na Alemanha como professor e tradutor e garante aproveitar a proximidade com tantos países para pôr em prática tudo o que aprende.

Além do português, claro, língua nativa, Lanzetti explica que começou a estudar inglês por influência da família, aos oito anos, “uma sábia decisão que todos os pais que possuem condições econômicas devem tomar”. Mas foi só aos 18 anos que o horizonte realmente se abriu.

Na Faculdade de Letras ele começou a estudar alemão, espanhol e italiano, línguas as quais define como “importantes do ponto de vista socioeconômico”. Logo depois veio o holandês, pela proximidade com o alemão. O romeno veio a reboque das línguas latinas, que foram complementadas com o francês, “embora não gostasse da língua tanto quanto as outras, mas reconhecia sua importância cultural”.

Ainda na faculdade Lanzetti aprendeu grego e, com um amigo israelense, mergulhou no hebraico. Por fim, para completar o grupo das línguas germânicas, Lanzetti enveredou pelo sueco. E, para ele, não tem tempo ruim. “Não há línguas mais difíceis que outras, como costumamos pensar, todas se equivalem em dificuldade”, explica.


As dicas encontram-nas neste link da Globo, de onde retirámos a notícia. Há também um vídeo onde podem comprovar como é que ele pronuncia as diferentes línguas.