Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Bem superlativo


Na vila alentejana de Marvão encontrei um dia este caixote de cartão que vem mesmo a calhar para uma revisãozinha do superlativo, alunos do 3º ano e por aí fora.

Transcrevo o texto para lerem melhor:

Por vezes surge uma pessoa sem meios com uma doença rarÍSSIMA,
cuja cura é complicadÍSSIMA,
chegando mesmo a tornar-se carÍSSIMA.
Felizmente, surge 1 empresa generosÍSSIMA
que ajuda esta causa gravÍSSIMA.

Este é o superlativo mais fácil, claro, o regular. Não se esqueçam desses três irregulares, já "velhos" conhecidos vossos: o superlativo de bom é ÓTIMO, o de mau é PÉSSIMO e o de grande é ENORME.

Por exemplo:

Esse livro não é bom, é ótimo.

Esses canetas não são más, são péssimas.

Essa praia não é grande, é enorme.

Notas. Cuidadinho com as palavras mau (esp. malo) e sobretudo com o feminino (esp. mala), cujo plural más não tem nada que ver com o advérbio de quantidade mais. Por exemplo: O João é mais alto do que o irmão. Estes livros são mais caros do que esses...

A palavra ótimo vocês encontram-na nos livros como óptimo. Mas por causa do Acordo Ortográfico passa a escrever-se desta maneira, sem o p. Como deviam saber, quando esta letra se escrevia, não se pronunciava.